Por que o MIT implementou o Blockchain Bitcoin para distribuir diplomas em vez de livros-razão permissionados

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) começou a emitir seus diplomas através de sua plataforma Blockcerts, uma aplicação baseada no Blockchain Bitcoin que fornece um livro-razão imutável e resistente à violações para a distribuição de credenciais acadêmicas.

O Blockcerts, que foi introduzido pela primeira vez em 2016, foi desenvolvido pela Learning Machine em colaboração com o Escritório Registrador do MIT, com a visão de criar uma infraestrutura aberta onde os graduados podem receber diplomas facilmente acessíveis e verificáveis. A equipe de desenvolvimento do Blockcerts explicou:

"O Blockcerts fornece um sistema de credenciamento descentralizado. O Blockchain Bitcoin atua como o provedor de confiança, e as credenciais são invioláveis ​​e verificáveis. O Blockcerts pode ser usado no contexto de credenciamento acadêmico, profissional e de força de trabalho".

Mérito de usar o Blockchain Bitcoin

Os Blockchains autorizados ou centralizados estão sendo empregados por conglomerados e corporações de grande escala, como a Pfizer e a Genentech, gigantes farmacêuticas com uma capitalização de mercado combinada de US $ 300 bilhões, porque exigem flexibilidade e liquidação de milhares de pontos de dados a cada segundo.

Mas, para documentos como credenciais e diplomas acadêmicos, a rede Blockchain Bitcoin imutável e pública pode ser usada, pois não exige alta flexibilidade e alta contagem de pontos de dados para processar.

Assim, criando credenciais e diplomas acadêmicos no MIT e incorporando-os às transações do Bitcoin que eventualmente são enviadas para o Blockchain Bitcoin público, o aplicativo Blockcerts e o MIT podem permitir que estudantes e empresas no futuro utilizem o Blockchain Bitcoin para verificar diplomas e credenciais .

A secretária e decana associada sênior do MIT, Mary Callahan, afirmou:

"Desde o início, uma de nossas principais motivações foi capacitar os alunos para serem os curadores de suas próprias credenciais. Este piloto permite que eles tenham propriedade de seus registros e possam compartilhá-los de forma segura, com quem escolherem".

Chris Jagers, cofundador e CEO da Learning Machine, a empresa de desenvolvimento de software por trás de Blockcerts, enfatizou ainda que plataformas como Blockcerts são particularmente importantes porque, mesmo que os emissores de credenciais, no caso o MIT, encerrem suas operações ou fechem, estudantes e as organizações podem verificar suas credenciais no Blockchain Bitcoin, que é inalterável por natureza.

"O MIT emitiu registros oficiais em um formato que pode existir, mesmo que a instituição desapareça, mesmo que desapareçamos como vendedor. As pessoas podem possuir e usar seus registros oficiais, que é uma mudança fundamental ".

Blockchaon permissionado não é necessário

O Blockcerts também comprovou a aplicabilidade comercial do Blockchain Bitcoin como uma infraestrutura para aplicações. Os Blockchains permissionados e centralizados não são necessárias para processar pequenas quantidades de dados, especialmente se o título é de extrema importância para os clientes.

Para o MIT, a segurança e a imutabilidade do Bitcoin são especialmente cruciais porque credenciais e diplomas acadêmicos são informações extremamente valiosas e importantes para estudantes e profissionais. Mais importante ainda, o uso de uma rede pública Blockchain permite que o aplicativo funcione como software de código aberto. A equipe do Blockcerts disse:

"No seu núcleo, o Blockcerts é aberto. O software é de código aberto e qualquer pessoa é bem-vinda a se juntar à comunidade de desenvolvedores. Somente um padrão aberto permite que os indivíduos permaneçam totalmente no controle de sua própria história acadêmica. Isso é importante, porque os certificados acadêmicos são marcadores de nossas vidas. Eles podem ser ingressos para um melhor trabalho ou educação, e podemos usá-los para contar uma história sobre quem somos e como nos tornamos essa pessoa".