Austrália tem debate quente sobre criptomoedas às vésperas de banir transações em dinheiro acima de AUD$ 10.000

A Austrália está prestes a impor uma proibição de transações com base em dinheiro acima de AUD$ 10.000 (cerca de US$ 7 mil) em julho deste ano, como base de uma iniciativa que pode acelerar a digitalização bancária do país.

Apesar do objetivo geral de tal legislação ser eliminar o comércio ilícito de tabaco do país, o crime do mercado negro e o financiamento do terrorismo, os cidadãos comuns também devem arcar com o peso da proibição do dinheiro em espécie para o uso geral.

A proibição de transações de grandes valores e a adoção forçada de pagamentos eletrônicos pode ser benéfica à adoção de criptomoedas, já que segundo o site de tecnologia Gizmodo, a comunidade de criptomoedas mostra aproximação do país visando a banição, e as redes sociais do país já comentam a adoção como uma das alternativas viáveis.

Segundo a discussão travada no Reddit, vários fatores precisam ser examinados cuidadosamente quando se lida com a dicotomia do fluxo de caixa e o influxo de dinheiro digital, não necessariamente apenas criptomoedas, como explica um subreddit sob a aba r/Bitcoin.

O poder de compra do montante declarado, ou seja, AUD$ 10.000, não seria retido por um período de mais de dois anos, aproximadamente. O impacto da pressão inflacionária sobre o dinheiro dificultaria o potencial duradouro da restrição. O mesmo foi apontado pelo usuário do Reddit slvbtc, que afirma:

“Lentamente, ao longo do tempo, à medida que a inflação consome o poder de compra, será ilegal usar dinheiro para algo mais do que um serviço de carro. Isso não faz nada além de fortalecer os benefícios potenciais do Bitcoin. Essas medidas distópicas draconianas são o equivalentes a promover o Bitcoin."

Outro usuário, Aussiehash, sugeriu que essa "guerra ao dinheiro" não era nada além de uma manobra para forçar os cidadãos a depositar seu dinheiro em contas bancárias, permitindo assim que a elite bancária tivesse controle sobre os fundos. Ele acrescentou que a proibição de transações em dinheiro levará a um aumento das poupanças que são armazenadas em "bancos de reserva fracionária".

O Fundo Monetário Internacional também publicou um post oficial sobre o tema em fevereiro de 2019 intitulado “Invasão: como fazer com que as taxas de juros negativas funcionem.” O comunicado detalha os possíveis resultados das políticas econômicas implantadas pelos bancos centrais.

O país espera adotar formas de pagamento mais rápidas, líquidas e independentes. As transações acima do limite terão que ser canalizadas através de contas bancárias ou, como alternativa, através de ativos digitais.

Recentemente a Austrália anunciou um plano de investimento em Blockchain para estimular o desenvolvimento da tecnologia no país, conforme publicou o Cointelegraph.