Western Union considera a cripto e faz parceira com a Ripple para testar pagamentos com blockchain

O presidente da Western Union Global Money Transfer afirmou que a empresa está "pronta para adotar qualquer tipo de moeda", potencialmente incluindo criptomoedas, em uma entrevista à Reuters Plus, 17 de dezembro.

Odilon Almeida afirmou que não há grande diferença entre criptomoedas e pagamentos digitais regulares, como o que a Western Union vem tratando há anos.

Almeida acredita que a postura de longo prazo da empresa a torna potencialmente pronta para lançar qualquer tipo de moeda, incluindo as baseadas em blockchain:

"Já operamos com 130 moedas. Se um dia acharmos que a estratégia certa é introduzir criptomoedas em nossa plataforma, tecnologicamente, é apenas mais uma moeda. Acho que as criptomoedas podem se tornar mais uma opção de moeda ou ativos em todo o mundo a ser trocado entre pessoas e empresas. Se isso acontecer, estaremos prontos para lançar."

No entanto, Almeida acha que, para alcançar a adoção em massa, as criptomoedas precisam resolver problemas com volatilidade, governança e conformidade. De acordo com o executivo da Western Union - insinuando o conceito por trás de algumas stablecoins ​​- a questão da volatilidade nos mercados de cripto pode ser resolvida atrelando as moedas a algumas “moedas fortes, como o dólar [dos Estados Unidos]”.

Além das criptomoedas, a Western Union também está explorando o uso de blockchain. De acordo com um comunicado de imprensa que acompanha o vídeo, a empresa já fez uma parceria com a Ripple para "testar se o envio de pagamentos por blockchain era mais rápido e mais barato", acrescentando que os "testes estão em andamento".

A posição oficial da Western Union em relação à cripto mudou consideravelmente nos últimos meses. Em junho deste ano, o CEO da empresa, Hikmet Ersek, disse que a Western Union não adicionará uma solução de transferência de cripto a seus serviços tão cedo. “Os consumidores nos dizem o que querem. As pessoas não estão pagando suas contas do hospital em criptos", afirmou à época.