Consequências do WannaCry: Consórcio de segurança Blockchain para a IoT

Uma universidade do Reino Unido se associou com um instituto tecnológico indiano para examinar a proteção Blockchain contra futuros ataques cibernéticos como o WannaCry.

A City University London e o Indian Institute of Technology Kharagpur trabalharão juntos através de um consórcio que se concentrará especificamente em armar entidades de saúde e componentes da Internet das Coisas (IoT na sigla em inglês) contra os efeitos do cibercrime internacional.

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido foi uma grande vítima do WannaCry no início deste ano, depois que os hackers encontraram presas fáceis nos sistemas operacionais obsoletos da rede estatal.

"Nosso consórcio explorandará o uso de uma arquitetura Blockchain de preservação de privacidade para aplicações IoT no compartilhamento de dados de saúde, usando criptografia baseada em atributos (ABE) para fornecer maior segurança para os dispositivos", Muttukrishnan Rajarajan, professor de engenharia de rede na City University disse, citado pelo recurso de notícias local Internet of Business.

A pesquisa sobre as capacidades do WannaCry lançou novas dúvidas sobre a capacidade de certos países, a Índia entre eles, de resistir à infecção.

Em particular, a Irede de caixas eletrônicos da Índia poderia ter sucumbido aos ataques maliciosos, relatórios sugeriram à época.

Rajarajan disse que a segurança dos dispositivos IoT usados em redes de saúde e em outros lugares também formaria uma área de investigação.

Outros países experimentaram algum tempo com o Blockchain nos cuidados de saúde, notadamente a Estônia, que procurou colocar seus registros no Blockchain para aumentar a flexibilidade e a segurança.

O NHS também enfrentou chamadas para conhecer atacantes com ferramentas Blockchain imediatamente após o hack.


Siga-nos no Facebook