Vitalik Buterin e Joseph Lubin doam, cada um, 1,000 Ether para a Moloch DAO

Os fundadores do Ethereum, Joseph Lubin e Vitalik Buterin, e suas respectivas organizações, a ConsenSys e Fundação Ethereum, doaram, cada um, 1.000 Ether (ETH) para a organização autônoma descentralizada Moloch (DAO).

Esta doação eleva o total de fundos da organização para US$ 1 milhão, segundo informações apuradas por um correspondente do Cointelegraph no Ethereal Summit nesta sexta-feira, 10 de maio.

O objetivo da Moloch DAO, criada por Ameen Soleimani - CEO da Spankchain, uma plataforma de tokens para adultos baseada no Ethereum - é levantar fundos para a infraestrutura compartilhada e de código aberto do Ethereum. A Moloch DAO afirma:

“Nosso objetivo é acelerar o desenvolvimento da infraestrutura pública do Ethereum que muitas equipes precisam, mas não querem pagar por conta própria. Ao reunir nosso ETH, as equipes que constroem o Ethereum podem financiar coletivamente o trabalho de código aberto que decidimos ser de interesse comum.”

O cofundador do Ethereum, Vitalik Buterin, anteriormente atuou como consultor de um projeto de financiamento coletivo, o Ethereum Community Fund (ECF), que foi inicialmente investido com US$ 100 milhões para o desenvolvimento de infraestrutura. O ECF nomeou seus primeiros cinco beneficiários no início de 2018 e o segundo grupo de beneficiários em agosto de 2018.

Um exemplo dessas concessões para desenvolvimento de infraestrutura é o trabalho do segundo do pesquisador de criptomoedas, Patrick McCorry, focado em melhorar a velocidade e a segurança do Ethereum e seus canais de pagamento.

Como informado anteriormente pelo Cointelegraph, Lubin tem grandes esperanças para o futuro do Ethereum, acreditando que a rede formará a espinha dorsal da próxima geração da Internet:

“Meu sentimento é que esta é apenas a próxima Internet. Esta é a versão três da World Wide Web. Vamos fornecer aplicativos que se parecem com páginas da Web ou aplicativos da Web ou que se parecem com aplicativos móveis. Eles terão apenas esse tipo diferente de banco de dados no back-end, que é um banco de dados muito mais confiável, que permite a interoperabilidade fácil entre várias outras coisas.”