CEO da Visa: a cripto não desafia nossa hegemonia no curto e médio prazo

O CEO da gigante global de pagamentos Visa Al Kelly afirmou que a criptomoeda não representa um desafio para o domínio da empresa na esfera do pagamento no curto a médio prazo, em uma entrevista no Mad Money da CNBC em 25 de outubro.

Quando perguntado se “a cripto [é] um verdadeiro desafio para a hegemonia da Visa neste negócio”, Kelly disse ao apresentador da Mad Money, Jim Cramer, que “certamente não estava a curto ou médio prazo”.

De acordo com Kelly, a cripto precisa “deixar de ser uma commodity para realmente ser um instrumento de pagamento” antes de se tornar uma verdadeira concorrente do sistema financeiro convencional.

Kelly acrescentou que o mercado de cripto "precisa ser um mercado" que pode se tornar "algo como uma moeda fiduciária" para que a Visa "se sinta confortável" interagindo com o ativo.

Após a declaração, Kelly afirmou que se a cripto “entra na direção [do fiat]”, a Visa também “se moverá nessa direção”, afirmando que a empresa quer estar no “meio de todo fluxo de pagamentos no mundo, ”E concluindo:

“Então, se tivermos que ir até lá, iremos para lá. Mas agora [cripto] é mais uma mercadoria do que um veículo de pagamento”.

Enquanto a gigante de pagamentos global Mastercard acaba de receber uma patente por usar princípios bancários de reservas fracionárias para combinar “moedas blockchain” e fiat para pagamentos, o CEO da Visa apontou que a Visa é uma “rede muito maior” do que a Mastercard.

De acordo com Kelly, Mastercard tem que "tentar mais", porque eles são "menores que [Visa]".

A Visa também se mudou recentemente para a tecnologia subjacente da crypto, blockchain, com o anúncio, nesta semana, de um sistema de identidade baseado em blockchain para pagamentos transnacionais.

Embora tanto a MasterCard quanto a Visa tenham feito várias movimentações na indústria de blockchain, foi relatado recentemente que ambas as empresas estão planejando classificar cripto e ofertas iniciais de moedas (ICO) dentro de uma nova categoria de “alto risco”.