Investimentos da VC nas empresas de Blockchain seguem para superar os números de 2017

O montante da captação de fundos de capital de risco para empresas baseadas em Blockchain até o momento em 2018 já atingiu mais de 40% do total do ano passado, de acordo com um relatório divulgado pela Crunchbase News em 27 de fevereiro.

A Crunchbase News determinou que as empresas incluíam na análise de dados fazendo uma lista de todas as organizações já classificadas em seu site como relacionadas a "Bitcoin," Ethereum, "Blockchain, "Criptomoedas" e "Moeda virtual", bem como adicionando as palavras-chave "moeda digital" e "token de utilitário" para a pesquisa.

A lista também inclui todas as empresas em dados da Crunchbase que levaram a Ofertas iniciais de moedas (ICO) este ano, trazendo o número total de empresas incluídas na análise para cerca de 2.900.

Ao analisar um gráfico de todos os investimentos de risco deste ano em "Blockchain e Blockchain-Adjacent Startups", excluindo ICOs, a Crunchbase descobriu que os picos e quedas do preço de Bitcoin desde Janeiro de 2018 não impediu que o investimento em risco aumentasse constantemente.

A Crunchbase mencionou algumas das maiores rodadas de empreendimentos que ocorreram este ano com a carteira de cripto Ledger, a plataforma de rastreamento de carga russa QUASA e a empresa de tecnologia Blockchain Harbour Platform.

Os dados da Crunchbase mostram que há uma mistura de investidores mainstream, bem como de mais empresas de risco "verticais", como Digital Currency Group que se realizam nessas rodadas orientadas Blockchain. Apenas na semana passada, o Digital Currency Group anunciou que eles investiram recentemente no Silvergate Bank.

Os dados da Crunchbase mostraram que os países que participaram da angariação de fundos de risco para as empresas adjacentes de Blockchain e Blockchain foram concentrados em um punhado, com os EUA liderando e Reino Unido, Cingapura e Suíça como destaques notáveis.

O Cointelegraph recentemente publicou um Expert Take sobre como a Suíça está se tornando uma "nação cripto" devido à abordagem equilibrada da sua autoridade financeira" para lidar com a regulamentação da ICO, bem como a legislação tributária suíça o país em um "não oficial" paraíso fiscal cripto.