Empresa de tecnologia dos EUA faz parceiria com consórcio blockchain R3

A empresa norte-americana de comunicações comerciais IPC Systems firmou uma parceria com o consórcio de software de blockchain corporativo R3, de acordo com um comunicado de imprensa compartilhado com a Cointelegraph em 3 de dezembro.

A IPC é uma empresa de serviços de tecnologia comercial conhecida por produzir torres comerciais, que são sistemas de comunicação usados ​​por operadores financeiros em suas mesas de operação. Por meio da parceria, o IPC planeja oferecer suporte às redes blockchain Corda do consórcio em sua plataforma Connexus.

O Connexus Cloud é uma plataforma baseada em nuvem de mercados financeiros para comunicações e conformidade de dados, voz e negócios. O produto inclui empresas do setor financeiro, receitas de liquidez, empresas de energia e dados de mercado e empresas de compensação.

A rede de blockchain Corda usa contratos inteligentes que são acionados por desenvolvimentos de preço ou volatilidade nos mercados. Em parceria com o R3, o IPC fornecerá dados de mercado de capital, tornando as fontes de informação usadas pelos contratos intelgientes - apelidados de “oráculos” - mais precisos.

O diretor de gerenciamento de produtos da IPC, Robert Coole, disse que "o interesse da indústria financeira em blockchain aumentou significativamente nos últimos anos, com o crescimento contínuo do investimento para apoiar essa tecnologia emergente".

Hoje, 26 empresas francesas e cinco grandes bancos concluíram um teste Conheça seu Cliente (KYC) baseado na plataforma Corda. Os participantes do estudo foram supostamente capazes de implementar solicitações KYC dentro de uma rede compartilhada, com os bancos tendo que solicitar acesso a dados e clientes capazes de aprovar e revogar o acesso, com todos os dados registrados no blockchain.

Em novembro, a SBI Ripple Asia e o Japan Payment Card Consortium anunciaram uma prova conjunta de conceito (PoC) para combater a fraude com a tecnologia blockchain, que será baseada em Corda. O PoC também terá como objetivo evitar danos causados ​​por transações fraudulentas, já que os dados no sistema serão “compartilhados apenas com aqueles que têm necessidade de saber”.