Pesquisadores americanos desenvolvem protocolo blockchain para combater produtos farmacêuticos falsificados

Pesquisadores da Portland State University (PSU) fizeram um protocolo blockchain para evitar que produtos farmacêuticos falsificados enchessem o mercado, de acordo com um comunicado de imprensa publicado em 15 de abril.

O pesquisador e professor da PSU de ciências da computação no Maseeh College de Engenharia e Ciência da Computação, Nirupama Bulusu, em colaboração com um estudante de doutorado em ciência da computação Naif Alzahrani da PSU publicou um trabalho chamado "Um novo produto blockchain anti-falsificação usando um protocolo de consenso dinâmico verdadeiramente descentralizado."

No artigo, os pesquisadores descreveram um novo método baseado em blockchain para registrar transações voltadas para facilitar o combate a fármacos falsos por meio da verificação e descentralização de produtos. A solução proposta representa uma cadeia de informações baseada em blockchain, com apenas usuários possuindo uma chave específica para acessar ou modificar os dados armazenados.

Bulusu declarou que a decisão de criar o protocolo se deve ao fato de que a falsa crise farmacêutica prejudica as populações internacionais mais vulneráveis. "Esse protocolo poderia potencialmente interromper e desabilitar redes de fornecimento ilícito", disse Bulusu.

A tecnologia Blockchain tem sido amplamente adotada para combater a falsificação em vários setores. Recentemente, a IBM e a empresa de armazenamento de dados Seagate anunciaram uma iniciativa conjunta para combater os discos rígidos falsificados usando a tecnologia blockchain. O projeto usará a Blockchain Platform da IBM para ajudar fabricantes, integradores e parceiros de negócios a autenticar melhor a proveniência das unidades de disco rígido.

Em outubro do ano passado, a subsidiária de capital de risco da Overstock.com Medici Ventures investiu na empresa de tecnologia VinX baseada em Israel para desenvolver uma plataforma de futuros de vinho movida a blockchain. A VinX planeja desenvolver uma plataforma digital de futuros baseados em tokens baseada no modelo de futuros de Bordeaux, que permitirá o comércio de futuros de vinhos em uma plataforma blockchain. A iniciativa alega que isso criará uma cadeia de fornecimento segura que garante a proveniência do produto e, portanto, reduz a fraude na indústria do vinho.