Promotores dos EUA se apressam para vender Bitcoin confiscado em apreensão de drogas

Depois de apreender Bitcoin de um círculo criminal de drogas, os advogados do estado de Utah estão com pressa de vender a valiosa criptomoeda, conforme relatado pela Time Magazine.

Um ano atrás, Aaron Shamo, de 27 anos, foi preso em Cottonwood Heights, Utah, acusado de tráfico de drogas. Segundo a revista Time, ele estava envolvido na venda de pílulas contendo opiáceos em um mercado da dark web.

As pílulas continham o opiáceo sintético fentanil - que é responsável por uma série de mortes por overdose de drogas em todo o mundo. É tão poderoso que as autoridades dos EUA o consideram como uma ferramenta para executar presos condenados à morte.

No momento da sua prisão, as autoridades apreenderam US $ 500.000 em Bitcoin de Shamo. Devido ao crescimento substancial do Bitcoin este ano, a soma confiscada agora vale US $ 8,5 milhões.

Quanto ao porquê as autoridades quererem vender agora, em documentos judiciais, o Ministério Público dos EUA para Utah cita a volatilidade do mercado de criptomoeda como principal motivo.

A porta-voz do Ministério Público, Melodie Rydalch, disse que os ganhos feitos no leilão dos Bitcoins serão mantidos até o caso terminar. Historicamente, a autoridade investigadora geralmente mantém os fundos arrecadados dos leilões de ativos apreendidos.

Shamo se declarou inocente das acusações e seu advogado Greg Skordas não contestará a venda do Bitcoin confiscado.

Cenários semelhantes ao redor do mundo

No início desta semana, a Cointelegraph informou que as autoridades búlgaras também apreenderam uma enorme quantidade de Bitcoin de uma investigação criminal. Nesse caso, o país europeu apreendeu mais de 200.000 do "ouro digital", o que é igual a cerca de US $ 4 bilhões ou um quarto da dívida nacional do país.


Siga-nos no Facebook