Vice-Presidente de fundos mútuos dos EUA diz que Blockchain ajudará a

Steve Chiavarone, vice-presidente da empresa de serviços financeiros Federated Investors, fez comentários otimistas sobre a tecnologia blockchain, classificando-a como um "impulsionador do crescimento econômico" em uma entrevista para a CNBC na sexta-feira, 11 de maio.

Respondendo se o blockchain será um motor de crescimento econômico, Chiavarone observou o potencial de automatização e aumento da eficiência que o blockchain oferece, dizendo:

“Quando você pensa nisso de uma perspectiva corporativa, ele tem a capacidade de substituir a reconciliação, que é cara e requer back-office e tempo e documentação com verificação mais instantânea [...] que permitirá que o custo seja cortado e que a poupanças [sic]  sejam passada adiante."

Chiavarone classificou o blockchain entre as cinco principais “tecnologias-chave” que “impulsionarão esta próxima revolução industrial”, juntamente com a automação, a robótica, a IA e a Internet das Coisas (IoT).

Quando questionado sobre como os investidores podem “jogar” o potencial do blockchain, Chiavarone aponta para empresas como a Nvidia e a Intel que “permitem a verificação do blockchain”, evidentemente referindo-se à produção de placas de computador usadas ​​na mineração.

Ele também observa como grandes bancos como o Bank of America começaram a se interessar pelo blockchain e “estão investindo pesadamente”. Além disso, ele afirmou que “qualquer empresa com uma cadeia de suprimentos pode se beneficiar com essa coisa chamada blockchain”.

Chiavarone é vice-presidente e gerente de portfólio da Federated Investors, que supostamente administra US $ 392,2 bilhões em ativos.

Em 8 de maio, dois subcomitês da Câmara dos Estados Unidos se reuniram para discutir os benefícios potenciais da implementação da tecnologia blockchain no gerenciamento da cadeia de suprimentos. A audiência concluiu que a tecnologia poderia ser usada em uma larga variedade de áreas, desde a alfândega e proteção de fronteiras dos EUA até a segurança cibernética, apesar de sua atual falta de padrões gerais para toda a indústria.