US Financial Giant PNC vai usar a tecnologia Ripple para pagamentos internacionais

O PNC, que está entre os dez principais bancos dos EUA, usará o RippleNet para processar pagamentos internacionais para seus clientes, anunciou a Ripple na quarta-feira, 19 de setembro.

Como relata a Reuters, uma determinada unidade PNC - Treasury Management - usará a solução xCurrent blockchain da Ripple para acelerar as transações no exterior realizadas por clientes comerciais dos EUA.

Ripple enfatiza que o xCurrent permitirá que clientes corporativos da PNC recebam pagamentos de suas faturas instantaneamente, mudando sua abordagem para o gerenciamento de ambas as contas e seu capital de giro.

O vice-presidente sênior de gerenciamento de produtos da Ripple, Asheesh Birla, acha que o uso do xCurrent no setor bancário é o primeiro passo para a adoção de outros produtos da Ripple, como a solução xRapid que será lançada em alguns meses. "É uma maneira de os bancos entrarem na água", disse Birla à Reuters.

As notícias chegam apesar do fato de alguns funcionários da Ripple estarem céticos sobre o uso do xCurrent em pagamentos transnacionais. Como relatado pela Cointelegraph em junho, o principal criptógrafo da Ripple, David Schwartz, disse que é improvável que os bancos implementem a tecnologia por causa da baixa escalabilidade e problemas de privacidade.

A PNC, listada pelo Bankrate como um dos dez maiores bancos dos EUA com 8 milhões de clientes e agências de varejo em 19 estados, uniu-se a outras instituições financeiras globais que já haviam firmado parceria com a Ripple.

Por exemplo, no final de 2017, a American Express anunciou que estava criando um aplicativo com tecnologia Ripple para pagamentos B2B entre clientes corporativos dos EUA e clientes do Santander no Reino Unido. Mais tarde, em março, um consórcio de bancos japoneses declarou que lançará um aplicativo móvel instantâneo de pagamentos domésticos chamado “MoneyTap”, baseado no Ripple.

E em abril, o Cointelegraph escreveu que o banco espanhol Santander lançou a rede One Pay FX, baseada em Ripple, que se tornou o primeiro banco internacional a fazê-lo.