Advogado de cripto dos EUA David Silver sobre porque ele agradece um aumento no escrutínio do governo

A firma de advocacia Silver Miller parece estar envolvida em quase todos os processos relacionados a cripto hoje, representando usuários prejudicados que supostamente perderam dinheiro para gigantes da indústria de cripto como CoinbaseCryptsy, Nano, KrakenBitConnect, Monkey Capital, Giga Watt e Tezos, só para nomear alguns.

David C. Silver, sócio fundador da Silver Miller, falou à Cointelegraph (CT) nesta semana sobre suas opiniões sobre a regulação de cripto, o papel da lei na esfera cripto e por que ele não é apenas um advogado do tipo “Better Call Saul”.

Quem é David Silver?

Em sua ação coletiva contra a Nano, Silver Miller se apresenta como “forte defensor de investidores prejudicados pelas deturpações e ações ilegais das casas de câmbio e emissores de criptomoedas”, mas quem exatamente é David Silver e qual é o seu ímpeto para assumir a cripto esfera, com aparentemente um processo por dia?

Em termos de currículo, Silver é um advogado financeiro que trabalhou na Squire Patton Boggs de 2004 a 2010 antes de fundar a Silver Miller junto com o sócio Jason S. Miller. Silver se envolveu no mundo da cripto em 2014, quando ele estava em South Beach com um amigo que estava interessado em Bitcoin (BTC):

“Alguém que estava envolvido com Bitcoin na época pegou meu celular, abriu uma conta na Coinbase para mim e me deu 5 Bitcoins para provar um ponto. E naquela época eu estava tipo: "Esse cara vai para a cadeia, o Bitcoin é uma cilada."

Ele disse à CT que ele ainda tem esses cinco BTC, mas na verdade não adquiriu nenhum além desse presente único.

Silver tem entrado com ações judiciais coletivas de cripto desde então, enquanto se mantinha constantemente atualizado sobre as notícias das criptos, rapidamente soltando tuítes sobre sua reação a todos os possíveis golpes relacionados a cripto. Ele até comentou sobre um artigo da CT sobre o falso golpe de saída da Savedroid, agora conhecido como um golpe de relações públicas, com uma oferta para ajudar junto com seu novo cartaz promocional:

 

In their ação coletiva contra a Nano, Silver Miller presents themselves as a “strong advocate for aggrieved investors harmed by the misrepresentations and illegal actions of cryptocurrency exchanges and issuers,” but who exactly is David Silver and what is his impetus for taking on the crypto sphere, seemingly one lawsuit at a time?

In terms of his resume, Silver is a financial securities lawyer who worked at Squire Patton Boggs from 2004 to 2010 before founding Silver Miller along with Partner Jason S. Miller. Silver got involved in the crypto world in 2014 when he was in South Beach with a friend who was interested in Bitcoin (BTC):

“Someone who was into Bitcoin at the time took my cell phone, opened up a Coinbase account for me, and gave me 5 Bitcoins to prove a point. And at that time I was like: ‘This guy is going to jail, Bitcoin is a con.’”

He told CT that he still has those five BTC, but has not actually acquired any beyond this one-time gift.

Silver has been filing class action lawsuits in crypto ever since, while constantly keeping up with crypto news, quick to tweet his reaction to all possible crypto-related scams. He even commented on a CT article about the Savedroid fake exit scam, now known to be a PR stunt, with an offer to help along with his new promotional poster:

Dê um toque se eu puder ajudar

Apesar da roupa na foto, Silver observou à CT que ele é realmente um “cara de jeans e camiseta”, adicionando:

"O cara de terno não sou eu."

Devido ao número relativamente prolífico de processos judiciais, Silver reconhece uma percepção negativa de si mesmo em algumas partes da comunidade no Twitter, dizendo à CT que "há muitas pessoas que me chamaram de ambulância, um 'Better Call Saul'". No entanto, Silver responde a essas alegações afirmando que “não entrou no espaço por nenhuma outra razão que não fosse alguém que perdeu dinheiro”, observando:

“Eu ajudo as pessoas a recuperarem o dinheiro que perderam. Todo processo que recebi segue essa linha. O dinheiro dos meus clientes está desaparecido.

A primeira ação cripto da Silver Miller – o golpe da Cryptsy

O processo de 2014 contra a Cryptsy, de acordo com Silver, foi um caso historicamente importante, já que foi a primeira vez que um investidor cripto processou uma casa de câmbio de criptomoeda nos EUA.

O CEO da agora extinta casa de câmbio de Bitcoin Cryptsy, Paul Vernon, foi considerado culpado em julho de 2017 de roubar 11.325,0961 BTC (no valor de cerca de US $ 105 milhões no mmomento de confecção deste texto) de clientes da Cryptsy em 2014 e foi condenado a pagar US $ 8,2 milhões (o valor dos BTC à época) em danos.

Silver tinha uma visão interessante de Paul Vernon e o resultado criminoso da casa de cripto. Ele disse à CT que estava "triste" que Vernon - o "Big Vern" - acabou sendo um "fraudador regular que tinha um site bonito", porque, de acordo com Silver, suas ideias estavam na verdade "à frente de seu tempo". ":

"Se ele tivesse apostado em si mesmo, seria uma das pessoas mais ricas do país".

Silver observa que o caso da Cryptsy foi “como eu comecei meu mundo maravilhoso a ser acidentalmente o que o Law360 me chamou hoje de manhã - e que enviei para minha mãe - o advogado mais prolífico em criptomoedas nos Estados Unidos”.

Agora, anos mais tarde, após a vitória contra a Cryptsy, Silver tornou-se o rosto de tantos processos de ação coletiva de cripto que, como ele disse à Cointelegraph, passou de um "famoso da lista D " na esfera de cripto para talvez um "C ou C+ para B-."

Os muitos infortúnios da Coinbase

Uma das empresas com as quais a Silver Miller lida mais é a Coinbase, uma importante empresa de câmbio e carteira de cripto. O escritório de advocacia tem várias queixas contra a empresa, cobrindo acusações de uso de informação privilegiada do Bitcoin Cash (BCH), fundos não entregues, quebra de plataforma e perda de acesso à conta, que eles estão atualmente investigando.

No entanto, Silver observa que o atual processo de ação coletiva contra a Coinbase é um desdobramento da Cryptsy, pois alega que a Coinbase foi negligente no monitoramento da conta. De acordo com a alegação, por negligência da Coinbase, Vernon foi capaz de lavar os 8,2 milhões de dólares roubados através da sua conta na Coinbase, transformá-los em fiduciário e fugir do país.

No entanto, Silver aponta que a Coinbase de 2014 e a Coinbase de hoje são empresas diferentes na sua opinião:

“Acho que Brian Armstrong, que é o CEO da Coinbase, está, para todos os níveis de aparências, tentando legitimar sua empresa. Eu digo, fora desse processo, eu tenho muito respeito pelo que Brian Armstrong está fazendo. Acho que seríamos grandes amigos e veja, acreditamos nas mesmas coisas no espaço cripto. E seríamos excelentes amigos, se não fosse este processo.

Em uma vitória da Silver Miller, um tribunal decidiu no início da semana que esta ação coletiva contra a Coinbase será julgada em uma côrte pública, e não em uma sala de arbitragem privada.

Nano e forks de recuperação

Uma ação coletiva mais recente impetrada pela Silver Miller é contra os desenvolvedores da altcoin Nano, alegando que eles venderam títulos não registrados, bem como deturparam de forma negligente a confiabilidade da BitGrail - que foi hackeada em US $ 150 milhões em Nano em fevereiro. A solução para reembolsar os usuários afetados pelo hack de Nano, de acordo com o processo, é um hard fork para devolver os fundos.

A questão de quando implementar um hard fork no caso de fundos de criptomoedas perdidos ou roubados é um assunto delicado na comunidade. Alguns dizem que nunca se deve usá-lo, como a multidão do Ethereum Classic (ETC), que rejeitou o hard fork que se partiu como ETH, forçando os fundos roubados dos hackers do DAO de volta às contas corretas.

Silver não olha para a questão do hard fork da mesma forma que os primeiros adotantes de cripto e sua propensão é a de manter a integridade do Blockchain, não importa a qual custo. Em sua opinião, como os desenvolvedores do Nano são os que se beneficiam por “não fazerem o fork o código”, eles estão moralmente errados:

“Vivemos nos Estados Unidos da América, o maior país da Terra, no que me diz respeito. Eu não quero morar em outro lugar. E quando você mora aqui e recebe os benefícios de morar aqui, você precisa seguir as regras do lugar.”

Então, de acordo com Silver, se os desenvolvedores do Nano "tiverem a capacidade de consertar isso - [eles] vão consertar isso agora".

Quando questionado sobre o processo de ação coletiva Nano, Peter Scoolidge, o advogado que representa a Nano respondeu:

"Nós achamos que o caso não tem mérito e estamos ansiosos para resolvê-lo no tribunal."

O despertar da Kraken

Nenhuma outra casa de câmbio de cripto ou operadora da ICO respondeu aos pedidos da Cointelegraph de comentários sobre as reclamações da Silver Miller contra eles, exceto a Kraken. A casa está atualmente enfrentando uma ação coletiva da Silver Miller alegando “fraude, negligência e propaganda enganosa”.

Em resposta ao e-mail da CT para comentários, a Kraken primeiramente disse à CT que eles "não sabiam de nenhuma ação judicial coletiva pendente".

Depois que o repórter da Cointelegraph enviou um link para a página da Silver Miller intitulada “Kraken Class Action”, o CEO da Kraken, Jesse Powell, disse à CT que um pedido de “cessar e desistir será enviado à Silver Miller”, acrescentando:

“Obrigado por chamar a atenção para isso. Não há ações judiciais abertas contra a Kraken [...] Sempre haverá advogados envolvidos em pilantragens, e sempre haverá comerciantes que não estão dispostos a serem responsáveis por suas próprias decisões.

Mais regras ou apenas mais clareza?

Quando perguntado sobre o futuro da relação da cripto com a lei, Silver enfatizou que “a regulamentação e a inovação precisam andar de mãos dadas” para evitar uma fuga de cérebros. Nesse sentido, Silver não acredita necessariamente que deveria haver mais regras ou regulamentos, diz ele, mas sim "mais clareza".

Ele acrescentou que essa clareza deveria vir do nível federal de uma maneira unificada, em vez do atual sistema de regras e definições diferentes sendo proferidas pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), FinCEN, a Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities (CFTC), o Departamento de Justiça (DOJ) e o Internal Revenue Service (IRS).

Aumento do envolvimento do governo em cripto

Nos anos que antecederam o boom de interesse em cripto do ano passado, Silver diz que costumava ser interpelado em todas as conferências em que ele falava, mas agora: “em vez de ser vaiado do palco e ser informado de que tudo era um símbolo de utilidade, eu estava errado, que estava matando a inovação e que eu era uma pessoa horrível”, as pessoas estão realmente ouvindo.

Silver atribui tanto o preço mais alto do Bitcoin quanto as ações judiciais de sua empresa como as causas diretas do recente aumento do escrutínio governamental da esfera de cripto. Enquanto ele reconhece que alguns podem pensar que é seu "ego falando mais do que os fatos", ele afirma que "discordaria disso", declarando:

“Se eu nunca tivesse apresentado as ações, nada disso teria acontecido.

Quero dizer, todas as ações do governo estão basicamente dizendo que David Silver, a Silver Miller, e suas ações judiciais estavam certas, e todas essas pessoas que pensavam que eram mais espertas e anarquistas que nós vamos fugir com a fraude e vender dinheiro e fazendo vendas não registradas de títulos, eles estavam fazendo algo errado”.

Em um email de acompanhamento para CT, Silver descreveu como ele se sente sobre a mudança do governo e de outros advogados em sua posição sobre a criptografia - "justificada".

O futuro da cripto – mais processos

Em termos do futuro do espaço cripto, Silver se considera "um crente na tecnologia blockchain" e menciona os gêmeos Winklevoss e sua ideia de que o Bitcoin poderia substituir o ouro como uma classe de ativos. Silver, em seguida, observou que ele "não é inteligente o suficiente para dizer casos de uso para criptomoedas".

Em relação a seu papel pessoal no futuro da cripto, Silver diz que gosta de falar em público que não o vaia mais para fora do palco. Ele disse que seu papel na esfera cripto, e a multiplicidade de suas atuais ações judiciais, é o de continuar responsabilizando as empresas cripto por todas as ações nesse espaço financeiro não-tradicional relativamente novo e desconhecido:

"Não há nada de errado comigo apontando os danos, mostrando-lhes amor ao imputar-lhe suas responsabilidades."

Quando perguntado se a Silver Miller manterá o fluxo constante de ações judiciais relacionadas à cripto no futuro, a resposta é “sim”, com a adição de que Silver “não está tentando perseguir empresas que fazem o certo”:

"Eu não processei a Gemini, eu não processei a Coinbase por problemas de plataforma. Sabe, só porque alguém é processado por uma coisa, não significa que não seja uma empresa legítima e que Brian Armstrong e eu não podemos ser bons amigos."