'US$ 2.2 trilhões foram transferidos durante a história do Bitcoin', afirma novo relatório da Fidelity

Um novo relatório escrito pela diretora de pesquisa da Fidelity Digital Assets, Ria Bhutoria, revelou que cerca de US$ 2.2 trilhões foram transferidos utilizando o Bitcoin.

Uma das grandes vantagens do Bitcoin (e da tecnologia blockchain aberta) é tornar possível o estudo de transferências de ativos, já que todas as transações são registradas na blockchain e são abertas ao público.

Apesar disso, o livro de registro do Bitcoin, que usa o sistema UTXO (Unspent transaction Output), não distingue entre transações econômicas e não econômicas. Ao analisarmos as transações que possuem valor monetário podemos ter mais informações sobre a rede.

Empresas como a CoinMetrics ajudam a melhorar a eficiência da análise de dados da blockchain em busca de uma melhor fotografia da atividade econômica da rede Bitcoin. 

Ao filtrar os dados brutos e excluir as saídas de alteração conhecidas (como o retorno de BTCs ao endereço de origem) e transações repetitivas (como processos de exchanges e misturadores de moedas), esse tipo de análise pode resultar em uma fotografia mais realista da rede.

O relatório afirma que a diferença entre os números do valor da transação ajustado e não ajustado é significativa.

Usando esses números, a Fidelity chegou a US$ 2,2 trilhões como o valor total ajustado de transação desde o início do Bitcoin (2009) até hoje. Naturalmente, os números não ajustados são bem maiores e estão em torno de US$ 7,5 trilhões, de acordo com a pesquisa.

De acordo com o relatório:

"Em outras palavras, o último valor bruto acumulado superestima o valor da transação econômica por um fator de 3,3x."

Olhando para os gráficos, os dois conjuntos de dados dispararam em meados de 2017, após um aumento relativamente constante nos sete anos anteriores.

Segundo o estudo, as taxas de valor de rede para valor de transação diária (NVT) e as taxas de sinal NVT (NVTS) - valor de rede para valor médio móvel de transação diária de 90 dias - também são afetadas pelo uso dos valores não ajustados. Esses dados geralmente são utilizados por analistas, como é o caso de Willy Woo.

A Fidelity Investments é uma das maiores empresas de investimento do mundo, com um total de US$ 2.46 trilhões em ativos. A empresa lançou recentemente seu serviço de custódia de criptomoedas.

Graças ao empenho de equipes de análise de blockchain, é possivel detectar grandes movimentos de criptomoedas e sua relação com eventos esporádicos. Como mostrou o Cointelegraph, a CoinMetrics acredita que as vendas de criptomoedas realizadas pelo famoso golpe conhecido como PlusToken estão segurando o mercado de ativos digitais.