Truque para publicidade para uma ICO ucraniana no Monte Everest acaba em morte de sherpa

Um anúncio publicitário da Oferta Inicial de Moeda (ICO) da rede social ucraniana ASKfm levou à morte de uma pessoa na semana passada, informou o Financial Times em Alphaville, na sexta-feira, 25 de maio.

De acordo com a FT, a ASKfm patrocinou os “entusiastas de cripto” Taras Pozdnii, Roman Gorodechnii e Dmitrii Semenko para que escalassem o Monte Everest e colocassem uma carteira Ledger com 500.000 tokens ASKfm no topo, com uma segunda carteira com igual quantidade de tokens a ser oferecida em um concurso.

Um vídeo promocional do Youtube para a promoção pediu aos espectadores que “se preparassem para o token mais alto. Literalmente”, oferecendo a carteira no topo do Everest para qualquer um “corajoso o suficiente” para ir lá pegá-la. De acordo com um porta-voz da ASKfm, os tokens no topo do Everest valem US $ 50.000, uma soma calculada por uma “estimativa de seu valor uma vez que a pré-venda e a ICO sejam lançadas”.

A FT confirmou com o relatório do final de semana do blogueiro do Everest, Alan Arnette, que uma equipe ucraniana havia escalado o Everest, mas o blog notou que um dos sherpas que o acompanhava, Lam Babu Sherpa, havia morrido durante a descida.

A morte de Lam Babu Sherpa é relatada no site de mídia russo 4Sport.ua como ocorrendo devido à cegueira pela neve ou exaustão física, com a cegueira pela neve sendo confirmada por um representante do Ministério do Turismo do Nepal, de acordo com a FT. Outra postagem do 4Sport.ua da equipe ucraniana descreveu a morte da seguinte maneira:

"Em um segundo - medo animal, e eu grito para Dima - vamos sair daqui, ou estas serão as últimas fotos que vamos tirar. Neste momento, havia três de nossos sherpas no topo, vimos o sherpa de Dima e, como se viu, ele não retornou ao acampamento: ((((“

Arnette escreve em seu blog que a morte de Lam Babu Sherpa é um “caso muito confuso”:

“Eu acho difícil entender como o Sherpa de 45 anos desenvolveu a cegueira pela neve, foi relatado como sendo impressionante e ninguém foi capaz de ajudá-lo. Estou ansioso para obter mais detalhes sobre este triste evento.”

Um dos alpinistas ucranianos, Taras Pozdnii, disse à FT que ele não sabia o que aconteceu com o sherpa que estava "vindo trás, então não o vimos".

Max Tsaryk, CEO da ASKfm, disse à FT que “nós nos conscientizamos de que um sherpa que ajudou com sucesso um de nossos alpinistas patrocinados em uma parte de sua jornada, antes de ajudar outros grupos de alpinistas não relacionados, mais tarde estava ausente:”

"A última atualização oficial que recebemos foi que a condição e localização do sherpa desaparecido era desconhecida e não deceríamos fazer declarações públicas que poderiam ter resultado em informações falsas sendo divulgadas."

A FT observa que a notícia da morte do sherpa foi publicada on-line em ucraniano e inglês, com um dos alpinistas tendo também confirmado a morte para a FT.

Em meados de abril uma startup alemã fez uma jogada de publicidade que saiu mal. Seu fundador fingiu ter fugido com 50 milhões de dólares dos investidores, apenas para postar um vídeo no Youtube no dia seguinte explicando que era uma tática projetado para defender os "altos padrões da ICO”.