O Comitê do Tesouro do RU vai examinar os criptos e seus efeitos sobre investidores e empresas do Reino Unido

O Comitê do Tesouro do parlamento do RU lançará um inquérito sobre criptomoedas e seus efeitos sobre investidores e empresas do Reino Unido, segundo noticiou a BBC hoje, 22 de fevereiro.

O inquérito foi motivado pelo aumento do interesse global em criptomoedas, bem como pelo aumento recente e queda do mercado de criptomoedas desde o ano novo.

Nicky Morgan, presidente do Comitê do Tesouro, disse à BBC que quer proteger as pessoas que "podem não estar cientes de que as [criptomoedas] estão atualmente não regulamentadas no Reino Unido", mas não quer prejudicar a inovação das tecnologias Blockchain por trás das moedas digitais.

Morgan disse a BBC:

"O Comitê do Tesouro analisará os riscos potenciais que as moedas digitais poderiam gerar para consumidores, empresas e governos, inclusive aqueles relacionados à volatilidade, lavagem de dinheiro e cibercriminalidade. Examinaremos também os benefícios potenciais das criptomoedas e da tecnologia que as sustenta, como elas podem criar oportunidades inovadoras e até que ponto elas podem perturbar a economia e substituir os meios de pagamento tradicionais."

A BBC escreve que o comitê explorará o que eles veem como as questões-chave do cripto, ou seja, se ele pudesse substituir os sistemas de pagamento tradicionais e os benefícios que ele traz ao público, às empresas e aos governos.

Em termos de regulamentação, o comitê ouvirá evidências sobre como a regulamentação poderia "beneficiar a criação de moeda digital por meio da melhoria da confiança do consumidor" e examinará como outros países lidaram com a regulamentação das moedas digitais.

A Câmara dos Lordes, Câmara Superior do Reino Unido, havia recomendado a exploração das tecnologias Blockchain para serviços governamentais, incluindo segurança nacional e segurança pública, saúde, segurança cibernética e alfândega e imigração em novembro do ano passado.

O governador do Bank of England (BoE) Mark Carney disse em 20 de fevereiro que, enquanto a criptomoeda "falhou" como moeda em sua opinião, a tecnologia Blockchain "ainda pode ser útil" para transações financeiras.

A idéia de ter Blockchain sem criptomoedas foi criada negativamente durante o Fórum Econômico Mundial em Davos em 2016. O cripto investidor e fundador da Cryptocash Guido Rudolphi disse que as empresas que utilizam o Bitcoin (BTC) sem a tecnologia do Bitcoin falharão.

Em novembro de 2017, o presidente da UBS, Axel Weber, disse que a Blockchain sem as criptomoedas podem ser útil para os bancos, pois mantém seu monopólio na moeda, mas ainda dá acesso às novas tecnologias.