Corpo médico do Reino Unido testa programa piloto de plataforma médica baseada em Blockchain

A Medicalchain, uma plataforma projetada para armazenar os registros médicos dos pacientes em Blockchain, anunciou uma parceria com o Groves Medical Group, sediado em Londres, para um programa piloto que oferece aos pacientes acesso à telemedicina e a capacidade de pagamento em criptomoedas, segundo postagem da Medicalchain, reportada em 6 de Março.

De acordo com a publicação, esta parceria faz do The Groves a primeira prática médica do Reino Unido à usar Blockchain e aceita pagamentos em criptomoedas para serviços de saúde.

O The Groves é composto por 4 clínicas gerais GP (médico geral) contendo um total de mais de 1.000 membros familiares de pacientes e 30.000 pacientes registrados que começarão a usar o programa piloto em Julho de 2018 com a tecnologia Hyperlocker da Medicalchain, baseada em Blockchain.

Armazenar e gravar registros de saúde do paciente no Blockchain permitirá que organizações como instituições médicas, pesquisadores e seguradoras de saúde solicitem permissão para acessar o arquivo de um paciente para registrar seus próprios serviços no livro digital. A Medicalchain se associou com a Civic para usar sua plataforma de segurança de identidade para verificar os médicos e suas licenças para operar.

O piloto da Medicalchain criará uma carteira gratuita para que os pacientes mantenham controle total sobre seus registros médicos e serviços de telemedicina. As consultas de GP por vídeo estarão disponíveis para os pacientes que usarem o piloto da Medicalchain também. Os pacientes podem pagar serviços médicos com criptomoedas, sendo que a postagem informou que os usuários serão "incentivados" a pagar por serviços de telemedicina com o MedTokens, aposta principal de criptomoeda da Medicalchain.

Dr. Vince Grippaudo, parceiro sênior do The Groves, afirmou na postagem que a parceria é uma "oportunidade única" para levar o Blockchain aos cuidados de saúde para benefício do paciente:

"Nós acreditamos que ao capacitar as pessoas a escolher como elas acessam os cuidados com a saúde, podemos reduzir a carga sobre os serviços de saúde pública. O objetivo é melhorar os serviços de saúde não só no Reino Unido, mas em todo o mundo. Com a Medicalchain acreditamos que podemos fazer parte disso ".

Após o ataque cibernético da WannaCry - em Maio de 2017 - que prejudicou muito o serviço nacional de saúde da Inglaterra, City University London e o Indian Institute of Technology, Kharagpur começou a trabalhar junto em um consórcio para proteger os sistemas de saúde do cibercrime através da arquitetura Blockchain.