Tailândia reembolsa impostos para exportadores de petróleo com ajuda da blockchain

O Departamento de Impostos Especiais da Tailândia está pronto para introduzir uma nova maneira de reembolsar impostos, aos exportadores de petróleo, usando a tecnologia blockchain.

Em 25 de novembro, a diretora-geral Patchara Anuntasilpa, disse ao Bangkok Post que o Departamento de Impostos da Tailândia mudará sua prática atual de reembolso de impostos, introduzindo um sistema de retorno de imposto baseado em blockchain, que ela espera implementar até meados de 2020.

Um dos três pilotos baseados em blockchain

Patchara explicou que o futuro sistema de recuperação de impostos exigirá que os exportadores de petróleo paguem impostos especiais de consumo e reivindiquem impostos pagos em excesso depois de enviarem o combustível. A tecnologia Blockchain tornará mais eficiente para o departamento inspecionar os pagamentos de impostos, acrescentou.

Atualmente, os exportadores de petróleo são obrigados a enviar documentos para uma isenção de impostos e a inspeção não é tão completa quanto poderia ser, de acordo com Patchara.

O Departamento de Impostos irá colaborar com o Krungthai Bank, para desenvolver o sistema de reembolso de impostos baseado em blockchain, que é um dos três projetos piloto. Os outros dois projetos envolvem garantias bancárias eletrônicas, pagamento de taxas anuais para bebidas alcoólicas e tabaco e licenças de distribuição de cartões de jogos.

Empresa de petróleo e gás desenvolve plataforma de energias renováveis baseada em blockchain

Em setembro, o grupo multinacional de energia da Tailândia, PTT, e a organização sem fins lucrativos, Energy Web Foundation (EWF), anunciaram que construirão uma plataforma de energias renováveis baseada em blockchain. As duas partes estavam no meio do desenvolvimento de uma solução regional baseada na Cadeia de Energia da Web, que também será compatível com o Padrão Internacional de Certificado de Energia Renovável (I-REC), que certifica fontes de energia renovável.

Em 2018, a Tailândia produziu cerca de 28 milhões de megawatts-hora de eletricidade limpa, enquanto apenas 0,16 milhão de I-REC MWhs foram emitidos. O CEO da EWF, Jesse Morris, disse que a nova plataforma baseada em blockchain ajudará a conectar a oferta e a demanda.