Fundador da Tezos, Arthur Breitman e professor da Cornell University explicam as vantagens do sistema "Proof of Stake"

O fundador da Tezos - Arthur Breitman - e o professor da Universidade Cornell - Emin Gün Sirer - falaram recentemente sobre por que os sistemas de Proof of Stake (PoS) possuem vantagens em relação aos sistemas de consenso Proof of Work (PoW). 

O sistema Proof of Work foi inventado em 2009 é o primeiro sistema de consenso criado para fundamentar uma criptomoeda e é utilizado por moedas como BitcoinLitecoin.

Uma das características mais importantes de cada projeto de criptomoeda é o sistema de consenso utilizado. Para alguns, os sistemas de prova de trabalho (PoW) que utilizam "mineradores" para confirmar transações na rede provaram ser os mais confiáveis. No entanto, o setor permanece dividido sobre a questão.

Arthur Breitman comparou os dois sistemas em um tweet recente, argumentando que as taxas de transação que vão para os mineradores não reduzem a inflação e que esses mineradores não possuem qualquer compromisso com a indústria. Por outro lado, quando as taxas vão para os participantes em um sistema PoS, a inflação real é efetivamente reduzida. Ele diz:

"Uma diferença importante entre PoW e PoS é que, no primeiro, as taxas de transação são acumuladas no poder de hash da rede, sem redução correspondente da inflação, enquanto no segundo são adicionadas às partes interessadas, o que efetivamente reduz a inflação real."

Acompanhando a declaração de Breitman, o professor Emin Gün Sirer da Cornell University, também refletiu sobre a questão. Na sua opinião, o que torna o PoS superior é que ele “mantém o valor dentro do sistema”. Os sistemas PoW, por outro lado, transferem esse mesmo valor para os mineradores e aqueles que controlam o poder de mineração.

Ainda assim, é preciso ressaltar que isso é verdade até certo ponto. O Bitcoin tem um limite definido de moedas que ele pode ter em circulação. O Ethereum, que aspira um dia ser um sistema de prova de participação (PoS), não tem nenhum limite e poderia virtualmente continuar a criar ETH indefinidamente. Ainda é difícil avaliar como isso afetará a economia interna de cada rede, uma vez que que o sistema PoS do Ethereum ainda não saiu do papel.

A migração do Ethereum para o sistema Proof of Stake é um dos passos para se criar o Ethereum 2.0. Conforme publicado pelo Cointelegraph, a fase de transição da rede deve ocorrer em 3 de janeiro de 2020.