Orgão vigilante financeiro da Suíça emite a primeira licença de gerenciamento de ativos de cripto do país

A Autoridade Supervisora ​​do Mercado Financeiro da Suíça (FINMA) emitiu a primeira licença de gerenciamento de ativos de criptomoeda do país para um fundo de investimento em cripto, informou Swissinfo, uma fonte de notícias suíça, em 9 de outubro.

O destinatário é a Crypto Fund, uma subsidiária fundada em 2017 pela Crypto Finance AG, com sede em Zug. Até agora, o fundo só tem sido capaz de distribuir fundos de criptomoeda baseados em offshore sob as regras da FINMA. A nova licença, no entanto, permitirá que a empresa ofereça de maneira legal um amplo espectro de produtos de investimento coletivo que rastreiam o Bitcoin (BTC) e outros ativos de cripto, incluindo fundos domésticos.

A licença também permite que a empresa ofereça serviços de consultoria de investimento para clientes institucionais —  essencialmente concedendo-lhe a mesma liberdade que a dada a gerentes de ativos tradicionais suíços, como observa o artigo.

De acordo com a Swissinfo, há uma rivaldade entre fundos de cripto que estão na fila para obter aprovação para uma gama de produtos e serviços relacionados à cripto, que incluem pedidos de licença para oferecer serviços bancários bancários completos para operadores de criptomoeda no país.

A Cointelegraph relatou recentemente sobre uma startup suíça de blockchain que obteve aprovação para operar no mercado financeiro local sob a Financial Services Standards Association (VQF), que é autorizada pela FINMA para supervisionar o cumprimento da lei contra lavagem de dinheiro (AML). A empresa em questão também está buscando uma licença bancária para permitir que ela ofereça investimentos em títulos no futuro.

Como publicado anteriormente, Zug era conhecido na indústria de cripto pelo apelido de “Vale de Cripto”, devido à alta concentração de projetos relacionados a blockchain e cripto ativos na cidade.

Neste verão, empresas locais formaram uma parceria com o governo de Zug para testar um sistema de votação municipal baseado em blockchain.

A Suíça é mais proativa quando se trata de gulamentação do novo espaço de cripto. Em fevereiro deste ano, a FINMA publicou diretrizes detalhadas sobre ICO's, segundo as quais muitos projetos  — especificamente utilitários e ativos de tokens  —  devem ser regulados por leis de títulos, enquanto os tokens de pagamento se enquadram na Lei Suíça de Combate à Lavagem de Dinheiro (AML).