Startup cripto banco suiça espera receber uma carteira de revendedores de ativos bancários em 2019

O CEO da startup suíça SEBA Crypto AG disse em uma entrevista que cinco "grandes gestores de ativos" da Alemanha e do exterior mostraram interesse em seu banco de criptomoedas, informou o jornal suíço Cash, em 12 de novembro.

Ainda em setembro, a empresa arrecadou US $ 103 milhões para criar um banco oferecendo serviços relacionados à criptomoeda. Na época, o CEO Guido Bühler havia notado que o banco se vê como uma ponte entre os ativos de criptomoeda e o mundo financeiro tradicional.

Na entrevista de novembro, a Bühler observou que a SEBA Crypto AG espera receber uma licença de revenda bancária e de títulos da FINMA, reguladora do mercado financeiro suíço, no primeiro semestre de 2019. Essa licença permitiria que a empresa realizasse negóciação de cripto e inestimento para outros bancos e investidores qualificados.

Em setembro, a SEBA notou que planejava começar a expandir suas operações para grandes centros financeiros, começando por Zurique em 2019.

De acordo com a Bühler, a SEBA pretende agora aumentar o capital de crescimento de até 200 milhões de francos (US $ 206 milhões) por meio de uma Oferta Inicial de Moeda (ICO). O CEO, explicando os objetivos da empresa, também observou que a SEBA quer oferecer funções bancárias de custódia, indo além do armazenamento digital de ativos de cripto:

"Como regra geral, os ativos de cripto, assim como os investimentos em ações e títulos, devem ser investidos de nossa função de banco custodiante no regulador."

No início de novembro, a FINMA havia assessorado bancos e outras instituições financeiras por meio de uma carta confidencial para estimar a cobertura de risco de criptomoedas em 800% do valor atual de mercado. A avaliação relativamente alta sugere que o regulador considera os investimentos muito voláteis.