Banco suíço torna-se o primeiro no país a oferecer contas empresariais a empresas cripto

O Hypothekarbank Lenzburg tornou-se o primeiro banco na Suíça a fornecer contas empresariais a empresas de blockchain e criptomoeda, informou a Cointelegraph auf Deutsch em 6 de junho.

Enquanto o Falcon Private Bank fornece serviços de gerenciamento de ativos cripto desde o ano passado, a CEO da Hypothekarbank Lenzburg, Marianne Wildi, confirmou que é o primeiro banco no país a abrir contas de empresas de empresas de fintech relacionadas a blockchain e crypto. Wildi disse:

"Como um banco que se posiciona tecnologicamente e segue uma estratégia cooperativa no campo das fintech, é também uma questão de credibilidade trabalhar em conjunto com o jovem setor de empresas cripto e de blockchain na Suíça".

Wildi observou que estava ciente do "problema de lavagem de dinheiro na área de empresas cripto e Ofertas Iniciais de Moedas (ICOs). O banco supostamente examinou as questões relevantes de risco e conformidade "muito precisamente", além de informar à Autoridade de Supervisão do Mercado Financeiro Suíço (FINMA) antes de decidir cooperar com startups cripto.

De acordo com Wildi, o Hypothekarbank Lenzburg é supostamente muito seletivo ao aceitar novos clientes e, recentemente, aceitou apenas duas empresas do setor de cripto. Antes de aceitar um novo cliente, o banco realiza um rigoroso processo de due diligence.

O cantão suíço de Zug tornou-se um hub global para a indústria de criptomoedas, assumindo o codinome de “Crypto Valley”. Apesar do afluxo de negócios de cripto, políticas bancárias restritivas para tais empresas forçaram-nas a buscar serviços bancários no exterior.

O banco Frick de Lichtenstein, por exemplo, não vê problemas de conformidade ou riscos a sua reputação ao fazer negócios com empresas cripto suíças. Em fevereiro, o banco Frick introduziu serviços de cripto e investimento direto em cripto para BitcoinBitcoin CashLitecoinRipple e Ethereum.

O Principado do Liechtenstein tornou-se um importante centro financeiro na Europa e pretende desempenhar também um papel central na indústria das fintechs. Em março, o governo introduziu uma legislação abrangente de blockchain, regulando os modelos de negócios blockchain e sistemas de blockchain subjacentes.