Bancos sul-coreanos passam por sindicância repentina em razão ao vínculo com transações de criptomoedas

Autoridades da Coreia do Sul irão inspecionar seis dos principais bancos do país por lavagem de dinheiro, como parte de uma investigação sem precedentes sobre suas ligações com criptomoedas.

Como foi informado pela imprensa local neste último domingo, a ação combinada da Unidade de Inteligência Financeira (FIU) e do Serviço de Supervisão Financeira (FSS) tem como objetivo determinar se as instituições "cumpriram suas obrigações de prevenir a lavagem de capitais no gerenciamento de contas virtuais".

Os Bancos Woori, Kookmin, Shinhan, , NongHyup, Banco Industrial da Coreia e o Banco de Desenvolvimento da Coreia devem passar por uma "extensa investigação" que deve finalizar até a próxima quinta-feira.

Como a especulação de investimentos em Bitcoin e altcoins continuam a incomodar órgãos regulamentadores em todo o mundo, a Coreia tem assumido uma posição bem dura nos últimos meses.

A Nova legislação procura colocar fortes restrições sobre como as transações de criptomoedas podem operar no país, bem como quem pode usá-las e até que ponto.

Os sul-coreanos provavelmente só poderão manter uma conta de câmbio ligada ao seu nome real, ao passo que as obrigações tributárias também estão sendo revisadas em relação aos lucros obtidos com as operações.

Baseada nos relatórios sobre a inspeção, a agência de notícias Yonhap previu um clima devastador no tocante às transações.

"A FIU e o FSS estão buscando cortar entradas de fundos em transações de criptomoedas e operações de disparo de criptomoedas que possuam brechas em seu sistema", afirma a agência.

O que essas "brechas" podem implicar ainda permanece muito vago. A configuração de segurança das principais transações chegou ao centro das atenções após uma tentativa de pirataria organizada por uma agência de notícias coreana.

Com a ajuda de hackers privados que testam possíveis vulnerabilidades de sistemas de computadores, a agência obteve sucesso na entrada em contas de câmbio que foram configuradas maliciosamente, ignorando até a autenticação em duas etapas, como foi informado no mês passado.


Siga-nos no Facebook