Coreia do Sul regulará Bitcoin como commodity, diz presidente do Banco da Coreia

O presidente do banco central sul-coreano, o Banco da Coreia (BOK), Lee Joo-Yeol, anunciou que o Bitcoin será regulamentado como mercadoria e não como moeda. O governador, no entanto, afirmou que o banco central não iniciará o regulamento muito em breve.

Durante a auditoria do BOK pela Assembleia Nacional, Lee afirmou que as moedas digitais como o Bitcoin não podem ser consideradas como dinheiro com base na definição do Bank of International Settlements (BIS).

"É difícil olhar para [moedas virtuais] como dinheiro pela [definição] do Bank of International Settlements (BIS). O regulamento [de moedas virtuais] é apropriado porque ele é considerado uma mercadoria. Ele [não pode ser] regulado no nível de uma moeda".

As últimas ações da Coreia do Sul sobre moedas virtuais

Para abordar prontamente as questões envolvendo as criptomoedas, o governo sul-coreano criou em 2016 uma força-tarefa de moeda digital para estudar os parâmetros regulatórios e de licenciamento para Bitcoin e casas de câmbio Bitcoin. No início de junho de 2017, um relatório da CNN afirmou que os participantes no estudo "não conseguiram concordar se as criptomoedas devem ser incluídas nos sistemas agora e como os sistemas funcionam se forem incluídos".

Enquanto isso, o regulador financeiro da Coreia do Sul, o Financial Supervisory Service (FSS) emitiu uma proibição de ofertas de moedas iniciais (ICO) guiado pela força-tarefa. O objetivo da proibição é proteger os investidores de possíveis fraudes. Este movimento levou à preocupações de uma campanha contra o mercado local de câmbio de moeda digital no país que é semelhante à repressão recentemente lançada pelo governo chinês.

O vice-presidente do FSS Kim Yong-bum foi citado no momento em que as ICOs aumentam o risco de fraude, pelo que será proibida a proibição.

"Estamos preocupados com os efeitos adversos, como o aumento do risco de fraude e a ICO será proibida sob todas as formas".