Coréia do Sul cria equipe de pesquisa para sua moeda digital do banco central

O banco central da Coréia do Sul, o Banco da Coréia (BOK), planeja organizar uma força-tarefa dedicada à pesquisa de moeda digital do banco central (CBDC) em 2020.

Em seu resumo da "Política Monetária para 2020", publicado em 27 de dezembro, o BOK disse que continuaria a desenvolver sua pesquisa existente sobre tecnologia blockchain, ativos digitais e CBDCs e a desempenhar um papel ativo na supervisão e aprimoramento da segurança dos sistemas de pagamento e liquidação.

 

Recrutamento de especialistas em moeda digital

Como parte de sua agenda de pesquisa da CBDC, o BOK planeja ostensivamente recrutar especialistas adicionais na área. Em 10 de dezembro, a instituição havia publicado uma lista de empregos para especialistas em moeda digital, de acordo com um relatório do Korea Times.

Paralelamente à organização de sua força-tarefa, o BOK diz que se envolverá ativamente em discussões com o Banco de Pagamentos Internacionais (BIS) e outras entidades internacionais relevantes para acompanhar o desenvolvimento da CBDC em outros bancos centrais.

O banco diz que planeja usar os Princípios do BIS para Infra-estruturas do Mercado Financeiro (PFMI) para aprovar princípios de avaliação e melhorar sua supervisão dos sistemas financeiros domésticos.

O PFMI é uma estrutura estabelecida pelo BIS para gerenciar riscos de mercado, como crédito, liquidez, custódia, liquidação, riscos operacionais e de investimento em sistemas de pagamentos, sistemas de liquidação de valores mobiliários, repositórios de transações e outras infra-estruturas.  

O BOK havia dado uma pequena pausa antes de buscar a emissão da CBDC

Conforme relatado anteriormente, uma CBDC é uma moeda digital emitida por um banco central, com status legal e outras propriedades de moeda fiduciária centralizada.

Tendo examinado a possível eficácia legal e social de um projeto CBDC, o BOK concluiu em janeiro de 2019 que não havia razão para o banco emitir uma CBDC que estaria disponível para o público em geral no futuro próximo.

A pesquisa da CBDC por bancos centrais separou amplamente o estudo dos benefícios de uma CBDC de "varejo" ou "de uso geral", acessível ao público em geral, das variantes "atacado" das CBDCs, que seriam limitadas para uso de instituições financeiras.

No passado, o BIS alertou que "uma CBDC de uso geral [varejo] poderia dar origem a uma maior instabilidade do financiamento de depósitos bancários comerciais" e potencialmente estimular corridas bancárias mais rápidas.

A França planeja pilotar uma CBDC em 2020, revelou o presidente do banco, François Villeroy de Galhau, no início deste mês.