O serviço de alfândega da Coreia do Sul informa $600 milhões em operações de cripto ilegais

O Korean Customs Service (KCS) (serviço de alfândega coreano) publicou um comunicado de imprensa em 31 de Janeiro sobre o status das exchanges (casas de câmbio virtual) de moeda estrangeira usando moeda digital, que supostamente totaliza 637,5 bilhões de won (cerca de $600 milhões).

O relatório deu exemplos dos maiores casos em que a moeda digital foi trocada ilegalmente, citando 416,9 bilhões de won ($391.886.000) trocados ilegalmente e 21,5 bilhões ($20.123.250) remessados por fundos insuficientes entre a Austrália e a Coreia do Sul.

Outro exemplo envolve o Japão, onde, segundo foi informado, 53,7 bilhões em won ($50.478) foram enviados ilegalmente do Japão para a Coreia do Sul.

O relatório KCS terminou:

"No futuro, a KCS investigará transações de divisas ilegais e encargos de lavagem de dinheiro contra operadores de câmbio ou agentes de compra de moeda virtual (...) continuará a repressão sistemática e contínua, como (no) (...) ato de retratar tarifas ou usar moedas virtuais como fundos de troca de tabaco contrabandeado, drogas e outros bens ilegais ".

Os mercados de criptomoedas sul-coreanos viram a turbulência no mês passado, após a introdução de regulamentos mais rigorosos sobre o processamento de criptomoedas, incluindo a proibição de abertura e uso de contas de negociação anônimas , uma lei que entrou em vigor em 30 de Janeiro, além de um relatório falso de uma proibição de criptomoedas em todo o país. A CT informou anteriormente que o ministro das finanças da Coreia do Sul reafirmou que não haverá proibição de criptomoedas no país.