Coréia do Sul prende 14 suspeitos de mineração do Bitcoin com descontos

As autoridades sul-coreanas prenderam 14 operadores alegadamente envolvidos na mineração de Bitcoin ilegalmente subsidiada, segundo relatou a Yonhap em 1 de abril.

Como informou a agência de notícias local Yonhap News Agency, a polícia prendeu 14 pessoas suspeitas de operar instalações de mineração Bitcoin usando eletricidade injustamente subsidiada desde maio de 2017.

Um total de 13 empresas foram cúmplices, cada uma usando até 350 máquinas para cunhar bitcoins com um desconto de energia de 10%.

“Essas empresas foram capazes de usar eletricidade a um preço 10% menor do que o cobrado para fins gerais, além de alugar o espaço da fábrica a um preço baixo”, continua a Yonhap.

Os eventos ressaltam o que continua a ser um ponto sensível para jurisdições em todo o mundo em relação aos mineradores de criptomoedas.

Como relatado pelo Cointelegraph, os legisladores em vários estados dos Estados Unidos e no Canadá criticaram a falta de benefícios perceptíveis que novas empresas de mineração lhes trazem em troca de pedidos de energia barata. 

A China reduziu significativamente seu anteriormente aguçado mercado de mineração subsidiada, enquanto a Coréia do Sul continua a avançar com mudanças regulatórias que afetam várias esferas do setor de criptomoedas.

Os mineradores presos, entretanto, parecem não estar enfrentando punições significativas, com multas no horizonte, segundo a Yonhap.