Sony requer patente para sistema de autenticação multifator baseado em Blockchain

A grande da tecnologia japonesa Sony apresentou um pedido de patente para um sistema de autenticação multifator (AMF) baseado em Blockchain. Com base na aplicação, o fabricante de eletrônicos poderia usar duas plataformas Blockchain diferentes em conjunto uma com a outra no proposto sistema de login de usuário.

Com base no documento de pedido de patente publicado pelo Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos (USPTO) em 26 de outubro de 2017, uma das plataformas Blockchain propostas criaria os códigos de autenticação que serão usados por um usuário para obter acesso a um site ou programa depois de inserirem seu nome de usuário e senha padrão.

A outra plataforma Blockchain é responsável por receber os códigos para confirmar a identidade de um usuário quando eles tentam realizar uma transação através da plataforma. As possíveis transações que podem ser realizadas incluem transferência de dados, geração de contrato e transferência de ativos.

Como funcionam os sistemas AMF

Os sistemas AMF são sistemas de segurança que exigem mais de um método de autenticação. Os sistemas funcionam fornecendo aos usuários duas credenciais diferentes para fazer login em um site ou programa. O conceito por trás dos sistemas propostos é que, embora um hacker possa roubar a senha de um usuário, eles não poderão obter acesso ao token porque gerará um código diferente para cada login.

Outros projetos baseados em Blockchain da Sony

O sistema AMF é apenas um dos projetos baseados em Blockchain avançados pelo gigante da tecnologia. A empresa também está desenvolvendo uma plataforma educacional baseada em Blockchain em parceria com a IBM. A plataforma, que será usada para armazenar registros de estudantes, está programada para ser lançada em 2018.

A Sony também anunciou que planeja explorar outras possíveis aplicações do Blockchain em diferentes campos, incluindo cadeia de suprimentos e logística, gerenciamento de dados , bem como outras áreas em que a propriedade intelectual proposta poderia ser aplicada.


Siga-nos no Facebook