Governo de Serra Leoa diz que o Blockchain não foi usado oficialmente em eleições após hype enganoso da mídia

Depois de uma série de manchetes de que as eleições presidenciais do 7 de março de Serra Leoa foram as primeiras eleições baseadas no Blockchain, devido ao apoio da empresa de tecnologia de voto Agora, o governo do país negou oficialmente qualquer uso de Blockchain para contagem dos resultados das eleições por parte da Comissão Nacional Eleitoral (NEC)

Em resposta a alegações de deliberadamente enganar o público sobre seu papel nas eleições, a Agora também divulgou uma declaração oficial no Medium em 19 de março. A declaração explicou seu papel legítimo nas eleições como observador internacional, sublinhando suas declarações anteriores de que nunca reivindicou estar contando os resultados eleitorais oficiais em seu teste eleitoral Blockchain.

De acordo com a publicação no Medium, a Agora foi credenciada pela NEC para atender 280 locais de votação no distrito oeste de Serra Leoa e que uma "implantação parcial de [sua] tecnologia foi usada nas eleições".

O processo de registrar os votos dos cidadãos de Serra Leoa foi como se segue: os eleitores colocaram suas cédulas de papel em caixas, que foram então esvaziadas na frente dos observadores eleitorais para contagem em voz alta, enquanto a Agora "registrava manualmente cada cédula em nosso Blockchain usando um dispositivo digital". A Agora não desempenhou nenhum papel uma vez que as urnas eram levadas para o centro de contatos regional NEC, diz seu post.

As discrepâncias nos resultados da NEC e os resultados da Agora, como observado pela agência de notícias francesa RFI, foram atribuídos a um sistema diferente de considerar quais votos eram não válidos, diz o post no Medium da Agora.

A Agora também detalha o que eles descrevem como uma "campanha direcionada" contra a empresa por uma organização chamada Plataforma de Dados de Eleições Abertas de Serra Leoa (SLOEDP). De acordo com a Agora, a SLOEDP foi a jornalistas e escreveu postagens de blog "atacando nosso envolvimento nas eleições", talvez devido à sobreposição das tecnologias das duas organizações.

Morris Marah, fundador da Sensi Tech Hub em Freetown, capital de Serra Leoa, disse à agência de notícias RFI que "o que me preocupa é o hype que se seguiu o que eles fizeram:"

“O que esses caras [Agora] estão dizendo é ótimo. Mas eles realmente não o testaram porque eles basicamente pegaram um cartão de papel com os resultados e colocaram-no em seu sistema. Isso é o que todo mundo está fazendo, isso não é novo.

A Agora terminou a postagem no Medium com um convite para trabalhar com a SLOEDP no futuro:

"As manchetes sensacionalistas tornaram-se uma 'norma' da internet e concordamos que as empresas e os meios de comunicação têm a responsabilidade de cobrir com precisão os eventos. Este foi o primeiro grande evento de mídia da Agora, e estamos criando políticas internas para apoiar ainda mais esse objetivo no futuro. Convidamos a SLOEDP para se juntar à Agora para criar um diálogo positivo e honesto que leve ao estabelecimento de eleições digitalmente verificáveis em Serra Leoa".