Hester Peirce da SEC incentiva menos cuidado para com a inovação que é o ETF

Hester Peirce, comissária da agência reguladora de valores mobiliários dos Estados Unidos, pediu uma abordagem menos cautelosa por parte da reguladora em relação à inovação no espaço de fundos negociados em bolsa (ETFs). O Financial Times relatou suas observações em 2 de junho.

De acordo com a reportagem, Peirce, que é da Comissão de Valores Mobiliários (SEC), pediu a seus cocomissários que permitissem a inovação no espaço de ETF, diminuindo sua cautela.

Ela comentou a abordagem da SEC em relação a esta categoria de derivativos financeiros altamente regulados, observando que a SEC ainda está “sufocando os ETFs com atenção personalizada como se fossem crianças”.

Peirce também observou que ela acredita que o regulador estava errado em sua decisão de rejeitar o requerimento de ETF baseado em Bitcoin (BTC) dos gêmeos Winklevoss, que também são os fundadores da exchange de criptomoedas Gemini. Segundo Peirce, um ETF incentivaria investidores institucionais a participarem do mercado de criptomoedas.

O CEO da terceira maior gestora de ativos do mundo, a State Street Global Advisers, Cyrus Taraporevala comentou para o Financial Times:

“Se algo der errado com eles, então a indústria ficará toda nivelada. [...] não fazemos ETFs inversos ou ETFs alavancados. Esse será o caso, desde que eu esteja no meu papel”.

Em 2010, a SEC supostamente proibiu ETFs alavancados e inversos, presumivelmente porque eles podem produzir perdas particularmente grandes, observa o Financial Times. Ainda assim, Peirce observou que outros tipos de fundos mútuos também usam derivativos para ampliar sua exposição, e ficou claro que investidores varejistas não sofisticados não são o alvo de ETFs alavancados. Ela alegadamente comentou:

“A falta de vontade de permitir que mais concorrentes ofereçam ETFs orientados parece ser outro exemplo de negar ou restringir o acesso a um produto que seria útil para alguns investidores.”

O Financial Times observa ainda que o órgão regulador dos EUA em questão também deve introduzir a nova regulamentação do ETF, que deverá acelerar a inovação no espaço.

Como o Cointelegraph informou no final de maio, a Agência de Serviços Financeiros japonesa também mostrou uma abordagem cautelosa em relação aos ETF baseados em criptomoeda, de acordo com comentários do comitê de finanças da câmara alta da Dieta Nacional.

Uma análise do Cointelegraph mostra que parte da comunidade de cripto acredita que a volatilidade do Bitcoin poderia tornar as chances de um ETF baseado na moeda ser aprovada significativamente menor.