Rede escalável de "blockchain" consegue US $ 35 milhões de Sequoia Capital, Huobi e outros

Uma nova rede do tipo blockchain liderada por um recebedor do Prêmio Turing e outros acadêmicos selou US $ 35 milhões em financiamento de grandes investidores que incluem a Sequoia Capital. O financiamento foi divulgado pela seção de notícias focada em cripto da Fortune, o The Ledger, em 4 de dezembro.

O dr. Andrew Chi-Chih Yao, um ganhador do Prêmio Turing que ganhou o apelido de "padrinho da ciência da computação", está entre os líderes da Conflux Foundation, registrada em Cingapura. O Prêmio Turing é um prêmio anual de US $ 1 milhão dado a uma pessoa que se superou no campo da ciência da computação.

A rede, apelidada de “Conflux”, foi projetada para lidar com o que é percebido como a maior escalabilidade de blockchain - proclamando que sua nova testnet é capaz de processar ”pelo menos 6.500 transações por segundo (TPS), suportando ao menos 20.000 nós."

Juntamente com a Sequoia, a Conflux recebeu suporte de uma série de empresas de alto nível de tecnologia e capital de risco que incluem a IMO Ventures, a FreesFund, a Rong 360, a Shunwei Capital, a F2Pool e a importante casa de câmbio cripto Huobi. Além disso, a Fortune cita “uma fonte próxima à Conflux” como a reveladora de que uma empresa de pesquisa chinesa “proeminente” não identificada apoiou o empreendimento.

Outro cofundador, Fan Long, professor da Universidade de Toronto, disse à Fortune que:

“A ideia principal da Conflux é como tornar o blockchain inteiro escalável. Nós mudamos a estrutura do blockchain para que não seja mais uma cadeia no sentido de que ele registra cada bloco com base no que seu bloco pai diz [...] Contrariando a crença popular, a verdadeira descentralização não é sacrificada para aumentar a taxa de transferência."

A “ideia principal” envolve o uso de um gráfico acíclico direcionado (DAG): diferente de um blockchain, pois implica um sistema topologicamente ordenado, no qual diferentes tipos de transações são executados em diferentes cadeias na rede simultaneamente. No espaço de cripto e blockchain, o protocolo já está em uso como base da arquitetura Tangle da Fundação IOTA.

A Conflux combina o DAG com um algoritmo de consenso de prova de trabalho (PoW) e também permite que os usuários da rede rodem contratos inteligentes e aplicativos descentralizados (DApps) na rede. Long disse à Fortune que a execução de contratos inteligentes e DApps em um protocolo escalonável e de alta produtividade permitirá que ambos ganhem espaço além do espaço da Oferta Inicial de Moedas (ICO) e se estendam aos setores financeiro e de seguros.

Segundo Long, a Fundação lançará seu testnet até o final de fevereiro de 2019 e sua principal rede até o terceiro trimestre de 2019.

Embora a questão da escalabilidade continue a ser avidamente discutida na comunidade blockchain, um estudo recente da empresa líder de serviços financeiros pós-negociação Depository Trust & Clearing Corporation (DTCC) constatou que as tecnologias de livro-razão distribuído (DLT), como blockchain, são de fato escaláveis suficiente para suportar os volumes diários de negociação do mercado acionário dos EUA.