CTO do Sacramento Kings afirma que os torcedores 'deixam de gastar Bitcoin quando seu preço sobe'

O Sacramento Kings - que liderou os pagamentos em Bitcoin (BTC) por produtos oficiais da equipe em 2014 - revelou algumas das peculiaridades de sua história de envolvimento com a criptomoeda.

De acordo com uma reportagem de 21 de novembro da Front Office Sports, o diretor de tecnologia da equipe da NBA, Ryan Montoya, observou:

“Pessoas de todo o mundo compravam camisetas, ingressos, diferentes equipamentos do Kings. Eles estavam super empolgados com o fato de a equipe aceitar Bitcoin [...] até colocamos um caixa eletrônico de Bitcoin na arena. Então o preço do Bitcoin subiu para US$ 1.200 e eles deixaram de gastar seu Bitcoin.”

Além das mercadorias

Quando o Kings lançou seu suporte a pagamentos em Bitcoin, a moeda girava em torno de US$ 800 - dez vezes menos que o preço atual.

Contudo, Montoya permanece positivo. Embora a apreciação arrebatadora do Bitcoin possa tornar as compras de mercadorias com a moeda menos atraentes, o envolvimento dos Kings no setor de criptomoedas e blockchain permanece extenso.

O time minera Bitcoin em seu data center e neste ano anunciou um programa de recompensas baseado em blockchain em parceria com a Blockparty. “Temos um grupo de proprietários com muita experiência em tecnologia e a inovação é um dado; faz parte do nosso DNA", disse Montoya.

Os que possuem carnês de temporada, de acordo com Montoya, continuam pagando com Bitcoin e os Kings estão de olho em uma ambiciosa integração da blockchain em seu ecossistema, acreditando que isso pode reduzir o atrito para o envolvimento dos torcedores.

O centro de mineração da equipe foi estabelecido em grande parte para fins educacionais, disse ele, com o centro liderando os esforços de desenvolvimento da força de trabalho local no âmbito do programa MiningForGood:

“Utilizamos esse centro para envolver a comunidade e ensinar aos jovens sobre a educação STEM e a importância da blockchain. Os estudantes de Sacramento não devem ser expostos a ela só daqui a dez anos, eles devem entender agora que esta é uma parte legal de tecnologia e potencializar essas coisas na arena.”

Os Kings também se aventuraram em colecionáveis cripto ​​por meio de uma parceria com a CryptoKaiju e realizam caçadas interativas para seus torcedores, oferecendo a chance de ganhar colecionáveis ​​Kaiju conectados a regalias de fãs do esporte, como cadeira à beira da quadra e passeios VIP.

Educação e envolvimento dos fãs

Conforme relatado, o programa de recompensas baseado em blockchain do Sacramento Kings, lançado em outubro, foi integrado ao jogo de previsão da equipe, o Call the Shot. Os fãs podem ganhar tokens blockchain que não têm valor monetário e só podem ser trocados por prêmios específicos do clube.

Em junho de 2018, os Kings fizeram uma parceria com a empresa de hardware de mineração de cripto MiningStore para minerar a altcoin Ether (ETH) para financiar bolsas de estudos em educação tecnológica.