Bispo russo condena as criptomoedas

As criptomoedas penetraram em todos os setores da vida e, como resultado, temos especialistas de quase todas as áreas de influência dando seus dois centavos sobre o assunto.

Bancos e instituições financeiras tradicionais têm sido os críticos mais azedos das moedas vituais, mas a lista de detratores varia de políticos a atores.

A voz mais recente e obscura vem do bispo Hilarion Alfeyev, da Igreja Ortodoxa Russa. Falando em seu papel como presidente do departamento de relações externas da igreja, Alfeyev mandou um direto nas criptomoedas, bem como no dólar dos EUA.

Não é surpreendente ver um clérigo russo assumindo uma posição dura sobre o dólar, mas de acordo com a RT, o bispo também acredita que o valor da criptomoedas se baseou exclusivamente no sentimento:

"Pessoalmente eu acho que a criptomoeda é uma nova bolha financeira, um novo esquema Ponzi, atrás do qual não há nada".

Sua apatia em relação à criptomoeda decorre do que ele descreve como uma progressão natural provocada pelo sistema bancário, que evoluiu gradualmente junto com a tecnologia digital.

O teólogo disse que a igreja faria bem em evitar as criptomoedas:

"Esta inovação é representativa de todo o sistema bancário, no qual os ativos reais são convertidos em virtuais. Isso prepara o caminho para a usura, contra qual a igreja sempre pregou, mas não se pode fazer nada – todos nós temos que manter nosso dinheiro nos bancos".

Valor no sentimento

Em janeiro de 2018, a capitalização de mercado global do mercado de criptomoeda situa-se em pouco mais de US $ 630 bilhões, de acordo com o Coinmarketcap.com.

Enquanto esse número não é nada em comparação com os dos maiores jogadores das bolsas de valores do mundo, o valor representa o crescimento do sentimento em relação às criptomoedas nos últimos cinco anos.

No entanto, o bispo russo diz que há uma desconexão entre a percepção do valor da moeda virtual em comparação com ativos tangíveis e tradicionais.

"As criptomoedas são um outro passo nessa direção – agora com números eletrônicos em vez de papel. Vemos que, entre um certo grupo de pessoas, essas criptomoedas têm valor, mas isso está fora da realidade e este é talvez o maior perigo".

Alfeyev também bateu na avaliação atual do dólar, que ele afirma ser difícil de avaliar, dada a circulação da moeda em todo o mundo:

"Mas agora há mais dólares do mundo do que qualquer reserva de ouro poderia garantir. De certa forma, o dólar já é uma criptomoeda". Não sabemos como essa moeda é controlada, como o preço sobe e cai, e sequer quantos dólares estão em circulação".

Para pensar

Os sentimentos do bispo russo não podem ser fundados em pesquisas empíricas de mercado, mas dar voz a seus pontos de vista é o mais importante nesta conjuntura.

Sua voz se junta a um coro cada vez maior que está pedindo melhores práticas financeiras em todo o mundo. Quer se trate de uma criptomoeda, do dólar ou até mesmo o rublo, pessoas influentes são muito mais loquazes sobre o clima econômico atual.

As criptomoedas e a tecnologia Blockchain têm o potencial de transformar a maneira como transacionamos no mundo digital e as instituições, dos bancos às igrejas, estão sendo forçadas a se educar e a avaliar o que está se tornando parte da vida cotidiana.


Siga-nos no Facebook