Rumores ou Fatos? China se movimenta para bloquear o acesso a todas as principais casas de câmbio Bitcoin

Uma notícia não verificada surgiu na Internet sobre a China se movimentando para bloquear o acesso a todas as principais casas de câmbio de criptomoedas.

Comentando o movimento, Simon Dixon, banqueiro de investimentos e autor do "Banco para o Futuro", escreveu: "Eles tentaram copiá-lo, fazer um fork, bani-lo, cloná-lo, ridicularizá-lo, lançar contra, desacreditá-lo e matá-lo , e ainda assim o #Bitcoin provoca ressonância".

Simon Dixon diz: Eles tentaram copiá-lo, fazer um fork, bani-lo, cloná-lo, ridicularizá-lo, atirar contra, desacredita-lo e matá-lo e ainda assim o #Bitcoin provocar reessonância.

O aviso que está circulando agora é direcionado ao Departamento de Monitoramento da Internet, Centro de Segurança, Centro Técnico e de Engenharia, bem como o Centro de Operação e Manutenção.

Supostamente, exige que todos os trabalhos de preparação técnica bloqueiem as atividades de negociação de Bitcoin no exterior a serem concluídas antes de 30 de setembro, em vez da ordem do governo central para corrigir a negociação da moeda digital.

FUD?

O plano geral inclui os seguintes pontos:

  1. Bloquear todo o acesso a plataformas importantes como Coinbase, Bitfinex e Localbitcoins, incluindo acesso via web, aplicativos e APIs,
  2. Bloquear todo o acesso ao endereçamento de sementes do Bitcoin,
  3. Abandonar o reconhecimento do DPI nos dados sincronizados do livro-razão do Bitcoin no Great Firewall.

O aviso lista as plataformas Coinbase, Okek, Okcoin, Bithumb, Bittrex, Coinone, Bitflyer, Bitstamp, Bitstar, Bitfinex, Poloniex, Kraken, Bitmex e Localbitcoins como plataformas importantes.

Ele solicita ao Departamento de Monitoramento da Internet que envie os endereços de IP e DNS das plataformas listadas para serem submetidos ao Centro Técnico e de Engenharia antes de 25 de setembro.

O aviso também requer informações sobre pools de mineração e estar apto para poder cortar a comunicação entre os pools de mineração e o exterior.

Além disso, ele exige que as atividades de TOR e VPN sejam monitoradas, com qualquer atividade de alta frequência ou anormal a ser relatada imediatamente.

Hong Kong reforçado

Mais cedo, informamos que as restrições da China ao comércio e uso da Bitcoin direcionarão empresas para Hong Kong e países vizinhos, como o Japão e a Coréia do Sul.

Devido ao alto nível de monitoramento estatal e policiamento de indivíduos, os entusiastas do Bitcoin se desviaram do WeChat na China, já que é o aplicativo de mensagens dominante do país, aprovado pelo governo.

Outras plataformas de mensagens criptografadas, como o Telegram, viram um aumento nos usuários da Bitcoin criando grupos que se multiplicaram rapidamente.