Relatório do Royal United Services Institute sugere que Coreia do Norte utiliza criptomoedas para desenvolver projeto nuclear

De acordo com os dados recentemente compartilhados por um grupo de pesquisa inglês de defesa, a Coréia do Norte estaria financiando seu programa de produção de armas nucleares utilizando criptomoedas. A relação de eventos de hackers de criptomoedas gerenciados pelo estado torna a conexão nuclear altamente prospectiva. 

O relatório publicado pelo jornal inglês The Independent sugere que a região do Sudeste Asiático deve controlar seu emergente mercado de criptomoedas para repelir as ações maliciosas norte-coreanas na região. Criptomoedas sem fronteiras seriam um enorme benefício para o regime norte-coreano. 

As negociações entre o presidente norte-americano Donald Trump e o líder supremo norte-coreano Kim Jong-Un teriam diminuído em fevereiro de 2019 devido à recusa de Trump em considerar a remoção das sanções da Coréia do Norte. 

Um relatório recente do Conselho de Segurança das Nações Unidas (UNSC) avaliou que o estado da Coreia do Norte detém uma quantidade de criptomoedas superior a US$ 670 milhões, parte da quantia obtida via hacking.

Uma grande equipe norte-coreana de hackers teria sido identificada pelo FBI, acusada de ser responsável pelo ataque de ransomware WannaCry no ano de 2017, que afetou mais de 200.000 PCs.

A equipe de hackers tem sido associada aos hacks de exchanges de criptomoedas na Coréia do Sul e no Japão. Um dos integrantes da equipe de hackers, Park Jin Hyok, está atualmente incluído na lista  dos mais procurados pelo FBI, acusado de tentar roubar mais de um US$ 1 bilhão por meio de hacks.