Sarbhai da Ripple: Reguladores não adotam mais a abordagem "Blockchain bom, cripto mau"

Sagar Sarbhai da Ripple disse acreditar que a tecnologia blockchain e os ativos cripto estão agora sendo abordados de forma mais holística pelos formuladores de políticas, em uma entevista na CNBC Markets hoje, 17 de setembro.

Sarbhai, que é diretor de relações regulatórias para a Ásia-Pacífico e Oriente Médio da Ripple, disse que acha que os reguladores não estão mais adotando uma abordagem compartimentada que utiliza tecnologias de livro-razão distribuído (DLT), como blockchain isoladamente dos próprios ativos cripto.

Como o subtexto da entrevista implica, os reguladores têm historicamente abordado criptomoedas descentralizadas com circunspecção – ou hostilidade direta de outra forma – enquanto permanecem mais receptivos aos benefícios potenciais do blockchain. O sentimento predominante costumava ser que a tecnologia pode trazer grandes vantagens aos sistemas legados em diversos setores, bem como ao mundo das finanças.

Mas Sarbhai disse hoje que acredita que a maré está mudando:

“Há alguns anos, a narrativa foi blockchain bom, cripto ruim. Mas acho que o que estamos vendo agora é que mais e mais reguladores estão tomando todo o espaço em uma conjunção [sic]. Você não pode ter pistas construídas sem aviões… [A] narrativa está felizmente mudando e os formuladores de políticas estão reconhecendo que há um forte benefício que os ativos digitais (cripto) trazem”.

Sarbhai identificou alguns desses benefícios como melhorar a inclusão financeira e “remover barreiras ao comércio”. Ele confirmou suas alegações apontando para desdobramentos recentes na Tailândia, que forneceram uma estrutura regulatória robusta para os ativos cripto.

No contexto dos EUA, Sarbhai se opôs à preocupação de que o XRP, token nativo da Ripple, provavelmente se enquadre em uma classificação de valor mobiliário – como várias ações judiciais em andamento de alto perfil alegam.

Ele apontou para o protocolo de código aberto do ledger XRP e sua independência da própria corporação, enfatizando que q RIpple controla apenas 7% dos nós validadores que operam na rede. Ele argumentou ainda que os investidores de XRP não garantem uma participação acionária ou participativa quando compram o ativo e enfatizaram que países como AustráliaFilipinas e Tailândia, portanto, classificaram a XRP como uma commodity.

Sarbhai deu a entender que a Ripple provavelmente lançará um aplicativo comercial de sua solução de liquidez xRapid para os bancos "no mês que vem".

Como publicado anteriormente, a China é um bom exemplo de um país que defende uma posição notoriamente dura contra as criptomoedas descentralizadas, mesmo quando o blockchain faz incursões nos mais altos níveis da estrutura política.

Nesta primavera, o presidente chinês Xi Jinping elogiou abertamente o blockchain como um exemplo de uma “nova geração” de tecnologias que oferecem “avanços”, e o país selou o recorde mundial de pedidos de patente relacionados a blockchain durante 2016 e 2017.