Pesquisa: Mercado automotivo global de blockchain vai atingir US $ 1,6 bilhão até 2026

O volume do mercado automotivo global de blockchain vai atingir US $ 1,6 bilhão até 2026. Essa estimativa é proveniente de um artigo da PR Newswire publicado em 21 de agosto, citando um relatório da Business Intelligence and Strategy Research (BIS Research).

O relatório da BIS Research prevê que, no de 2018 até 2026, o mercado automotivo de blockchain cresça a uma Taxa de Crescimento Anual Composta (CAGR) de 65,80%, atingindo US $ 1.575 milhões até 2026.

A pesquisa foi baseada em uma análise financeira dos principais participantes do mercado: Ethereum (ETH), Ripple Labs Inc., IBM Corporation, BigChain DB, R3 e alguns outros.

O “crescimento robusto” projetado do mercado automotivo de blockchain é devido ao aumento da popularidade da tecnologia de contabilidade distribuída (DLT) e “a miríade de benefícios associados à tecnologia blockchain”, diz o relatório.

Entre essas vantagens estão a troca de dados, transparência, confiabilidade, segurança e imutabilidade. Tudo isso fez a tecnologia blockchain uma das principais concorrentes para disromper a rede de suprimentos automotiva, afirma o relatório. Ele acrescenta:

“Adicionando automação à tecnologia de contabilidade distribuída, uma infinidade de casos de aplicação pode ser realizada, cujo impacto se estende por toda a rede de suprimentos. O imenso potencial de aplicação desta tecnologia abre muitas oportunidades que podem transformar produtos, serviços e processos em toda a indústria automotiva.”

Em julho, o instituto de pesquisa científica do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China (MIIT), em colaboração com a Tencent Holdings, divulgou um relatório sobre as possíveis aplicações de blockchain no setor financeiro e como a tecnologia transformou os serviços financeiros tradicionais.

No início deste mês, a Fundação Tezos anunciou que havia concedido subsídios financeiros para desenvolvimento de tecnologia de blockchain e contratos inteligentes a quatro instituições de pesquisa: a Universidade de Cornell, a Universidade da Beira Interior, a Universidade de Illinois em Urbana-Champaign e a France-IOI como a Cointelegraph relatou em 10 de agosto.