Qvolta visa romper monopólio das casas de câmbio

A criação do Bitcoin teve como objetivo quebrar a natureza centralizada da moeda e do dinheiro, no entanto, mesmo que as moedas digitais sejam, em sua maioria, descentralizadas, elas ainda estão sob a influência das casas de câmbio em que são negociadas.

Taxas, tempos de espera e identificação são partes do banco de dados tradicional que as casas trouxeram para as moedas digitais. E, embora isso não seja uma descentralização das moedas digitais, está tornando os usuários muito comprometidos com as casas enquanto sofrem custos extras.

Voltar à rotina

As moedas digitalizadas formaram sua própria economia, que atraiu o desejo das pessoas de se afastar de comissões e taxas desnecessárias. Além disso, é a natureza descentralizada que também atrai a desconfiança das pessoas por terceiros.

Reuniões presenciais para pessoas na mesma localidade podem levar a um acordo de termos, preços e até mesmo métodos de pagamento para evitar o controle que os bancos têm sobre o seu dinheiro. Isso remove taxas, tempos de espera e outras surpresas desagradáveis ​​que vêm com a utilização de bancos para trocas e comércio.

Isso se torna um pouco mais difícil quando se trata de moedas digitais, pois é a casa de câmbio centralizada onde essas moedas operam principalmente que dá as cartas.

Há, naturalmente, serviços, como a LocalBitcoins que visam resolver isso, uma vez que uma rede peer-to-peer é configurada em áreas localizadas. Mas e o boom de altcoins e o desejo de trocas rápidas?

Localidade globalizada

A Qvolta assumiu um projeto ambicioso, para tentar competir com a hegemonia das trocas, tentando melhorar o espaço de mercado da LocalBitcoins.

O objetivo da Qvolta é fazer compras e vendas de criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum, tão básicas como um comérico peer-to-peer. Se eles conseguirem isso, a Qvolta acredita que irá atrair uma grande parte do novo mercado em expansão atualmente deixado de fora pela natureza complicada da moeda digital.

Um mercado peer-to-peer será idealmente configurado pela Qvolta, que permite que os compradores e os vendedores coloquem suas moedas a um preço fixo, em vez de um definido por mercados constantemente em movimento. Como tal, a crença é que as pessoas serão atraídas por um sistema simples de clique e compra/venda.

Em essência, a idéia é semelhante a da LocalBitcoins, como na Qvolta as partes podem concordar com o método de pagamento, incluindo cartão de crédito, transferência bancária, mas também as mais complicadas, como PayPalSkrill e outros métodos de pagamento digitais bem conhecidos.

O garantidor

A Qvolta espera levar as coisas um pouco mais longe, agindo como um pouco de um grande irmão no meio. Ao se inserir como garantia dos negócios executados na plataforma, a Qvolta assegurará pagamentos e negócios, mas sem se controlar de fato.

Embora a Qvolta não segure dinheiro fiduciário, pode ter muitas preocupações de que eles estão realmente agindo um pouco demais como um banco centralizado, por exemplo. A crença é que essa proteção permitirá que a idéia da "LocalBitcoin" seja global.

 

Aviso Legal: a Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto nesta página. Embora tenhamos o objetivo de fornecer todas as informações importantes que possamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar quaisquer ações relacionadas à empresa e assumir a total responsabilidade por suas decisões, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.