Recém-hackeada Coincheck revela planos para se expandir para o mercado americano

A Monex Inc., empresa que recentemente adquiriu a casa de câmbio de cripto japonesa hackeada Coincheck, revelou planos de expandir a casa para os EUA em uma entrevista à Bloomberg hoje, 18 de maio.

O CEO da Monex, Oki Matsumoto, disse que espera que a Coincheck receba uma licença oficial das autoridades japonesas no próximo mês, mas - sem especificar um cronograma - ele revelou que a companhia agora cresce os olhos para além da Ásia:

"O Japão pode parecer estar um passo à frente na cripto, mas em termos de decidir o que é um valor mobiliário ou um token e atrair investidores institucionais, os EUA e a Europa estão avançando".

O Japão está há muito tempo na vanguarda da adoção da cripto - o país foi o primeiro a reconhecer o Bitcoin como uma forma de curso legal em 2016 - mas Matsumoto considera que os EUA e a Europa agora têm um impulso em termos de dinâmica regulatória específica para cripto. Ele comparou o pesado imposto de 55% sobre a cripto do Japão com a recente iniciativa da França de taxar a cripto a uma taxa de ganhos de capital favorável de 19%, dizendo à Bloomberg que:

“No nível [do Japão], é difícil até pensar em cripto como algo que você colocaria em seu portfólio. Isso significa que ele continuará sendo um brinquedo para os especuladores.”

Mais crucial ainda, o CEO argumentou que os reguladores federais dos EUA agora exercem uma maior influência na decisão sobre o futuro status da criptomoeda na economia mundial, referindo-se ao debate em andamento sobre se os ativos digitais devem ser regulados como títulos ou commodities. Uma eventual decisão forneceria a clareza necessária para a indústria emergente e, em última análise, promoveria o crescimento e a confiança dos investidores institucionais, disse ele à Bloomberg.

A decisão da Monex de visar mercados estrangeiros é a mais recente de uma série de reviravoltas na história da Coincheck desde do hackeamento sem precedentes de US $ 532 milhões em janeiro de 2018. A Coincheck foi posteriormente adquirida pela Monex em abril, com as ações subindo 98% desde a aquisição, de acordo com a Bloomberg.

Números recentes divulgados pela Monex mostraram que apesar da enorme depreciação pós-hack que a Coincheck, emitindo reembolso para clientes afetados, a bolsa ainda fechou o ano fiscal no verde, com lucro de ¥ 6,3 bilhões (cerca de US $ 56,7 milhões) e vendas de ¥ 62,6 bilhões.

No início deste mês, a Agência de Serviços Financeiros do Japão (ASF) estabeleceu mais estipulações para as já rigorosas medidas regulatórias que foram impostas às casas de câmbio de cripto do país. Uma fonte da ASF, no entanto, julgou que o processo de regulação da cripto no Japão está se desdobrando "sem o necessário know-how - estamos tateando nosso caminho na escuridão".