Autoridade portuária de Valência une-se à Maersk, IBM Blockchain em projeto para entregas

A autoridade portuária de Valência (PAV), na Espanha, integrou a plataforma TradeLens, um ecossistema blockchain desenvolvido em conjunto pela IBM e pela gigante do transporte marítimo Maersk, de acordo com um anúncio oficial publicado em 5 de novembro.

Lançada em agosto de 2018, a plataforma TradeLens aplica a tecnologia blockchain às cadeias globais de suprimentos. O produto visa melhorar a eficiência e segurança do comércio, em que todos os participantes da cadeia de fornecimento, incluindo companhias de navegação, operadores portuários e de terminais, autoridades alfandegárias e outras partes, podem interagir e acessar dados e documentos de embarque.

De acordo com o anúncio, o PAV se integrou ao projeto TradeLens como “parceiros desde o início”, significando que o porto contribuirá para o desenvolvimento inicial da plataforma. Atualmente, existem mais de 20 participantes no ecossistema TradeLens.

A TradeLens já processou 154 milhões de “eventos de envio de dados”, como o envio de contêineres, o tempo de armazenamento e a documentação alfandegária. A plataforma pode reduzir o tempo de envio em 40%.

O PAV inicialmente anunciou seus planos para criar uma “porta inteligente” baseada em blockchain e big data technologies no início de outubro. Jose Garcia De La Guia, responsável pela implementação de novas tecnologias no PAV, sugeriu que o blockchain poderia melhorar a logística em escala global e ajudar a criar "portas sem papéis" e reduzir o tempo gasto em manutenção.

Outros portos também fizeram movimentos para integrar a tecnologia blockchain em suas operações. No mês passado, o maior porto da Europa, o Porto de Roterdã, fez uma parceria com o grande banco holandês ABN AMRO e a subsidiária de TI da Samsung para testar o blockchain para o envio. Os membros do trial blockchain esperam que a tecnologia ajude a reduzir o tempo de envio e simplificar as transações financeiras.

Em setembro, a operadora portuária líder do Reino Unido, Associated British Ports, assinou um acordo com a empresa de logística digital Marine Transport International para desenvolver blockchain para sua logística portuária. A empresa supostamente espera que a implementação do blockchain reduza o tempo gasto na revisão manual de dados dispersos.