Petição para reverter a proibição de criptomoedas do Banco Central da Índia ganha 17.000 assinaturas

Uma petição da Change.org para "Traz[endo] Índia para vanguarda da Revolução de uso do Blockchain" em resposta ao Banco Central da Índia encerrando todas as transações com as contas relacionadas à cripto nesta semana, ganhou mais de 17.000 mil assinaturas desde seu início em 5 de abril.

A petição solicita que o governo da Índia apoie o setor do Blockchain e da cripto, em especificamente porque ele dá empregos aos jovens:

“Há dezenas de milhares de jovens que conseguiram um emprego com blockchain e empresas relacionadas. Isso é significante para um governo que não conseguiu melhorar a taxa de emprego”.

De acordo com a petição, a proibição pelo Banco de Reserva da Índia (RBI) de 5 de abril - que foi recentemente chamado "um grande erro" por um investidor em tecnologia Tim Draper - poderia levar a um aumento do comércio ilegal de criptomoedas na Índia. Além disso, a proibição pode tirar o potencial de receita para o governo das casas de câmbio de cripto, e instigar uma queda nos preços do mercado de criptomoedas "devido à reação instável em que os preços foram impactados".

A petição nota que o desenvolvimento do Blockchain pelo mundo é inevitável e pede que o governo da Índia permaneça competitivo com outros países sobre o assunto para não ser "deixado para trás":

“A crypto e o blockchain como um conceito não podem ser parados. Você pode apenas decidir se quer participar com toda a potência ou ficar para trás. A atual posição do governo mostra que eles gostariam de ficar para trás depois de primeiro perder a revolução da Internet, depois a revolução da IA e agora a revolução do blockchain”.

Além da petição, a resistência à proibição também foi observada entro indivíduos dentro da comunidade. Ajeet Khurana, CEO da Zebpay, uma casa de câmbio de cripto na Índia, tuitou corajosamente em 5 de abril "Não vou parar de jeito nenhum".

Não vou parar de jeito nenhum. Nós vamos continuar o que é o melhor para nossos clientes e o que é o melhor para nosso país. Estou analisando a situção presente e vou reagir logo. e vamos ficar mais fortes.

O CEO de uma casa de câmbio indiana WazirX, Nischal Shetty, tuitou diretamente ao RBI, pedindo-lhes para "reconsiderar" e "pensar de maneira progressiva".

Os EUA, o Japão e a Coreia do Sul vão em direção de regulamentação de criptomoedas para que seus países progredirem, enquanto o RBI decide impedir os indianos de participar na revolução de cripto. Precisamos pensar de maneira progressiva, @RBI por favor reconsidere isso e vamos dar um passo positivo para frente.

A petição também menciona o interesse de RBI em criar sua própria moeda digital, que foi oficialmente expressa no mesmo dia da proibição, em 5 de abril.  A petição declara o que parece uma piada: “O RBI quer impedir os outros e ao mesmo tempo explorar a própria tecnologia blockchain”.

A proibição de criptomoedas pelo RBI não é mesma coisa que a proibição de criptomoedas em todo o país, de que houve rumores no começo do ano. Um colaborador da Cointelegraph, Joseph Young, postou no Twitter que a casa de câmbio indiana Unocoin notou que, a partir de 6 de abril, "nenhum banco encerrou relacionamentos com as plataformas de comércio locais":

A Uncoin, uma das maiores casas de câmbio na Índia, afirmou que nenhum banco encerrou as relações com as plataformas de comércio locais e que a declaração recente do Banco Central da Índia não muda o status legal de criptomoedas na Índia.