Como proteção ao "Cryptojacking", Opera lança script anti-mineração também para seu navegador móvel

Opera, um navegador web que desde Dezembro incluiu um software anti-mineração em seu bloqueador de anúncios integrado para desktop, anunciou hoje, 22 de Janeiro, eles também irão adicionar esse mesmo recurso ao seu navegador móvel também.

Cryptojacking é o termo usado para o processo pelo qual um computador ou um smartphone é pirateado de forma remota para minerar criptomoedas sem o conhecimento do proprietário. A aplicação usa uma grande quantidade de bateria e pode reduzir o desempenho do dispositivo.

O vice-presidente de marketing de produtos da Opera, Jan Standal, descreveu o processo de cryptojacking no comunicado de imprensa para o seu software anti-mineração para celular:

"Quando você navega na web, não há pistas visuais que seu dispositivo está exposto à mineração (...) Uma única página da Web que você visita pode levar até 4 ou 5 horas do tempo útil da bateria, se você manter a aba aberta. Isso muitas vezes acaba por ser apenas o tempo de bateria que você precisava para usar um aplicativo de alto desempenho ou verificar o mapa para chegar em casa ".

O comunicado ainda inclui um link para https://cryptojackingtest.com/, um site que mostra se seu dispositivo foi afetado pelo cryptojacking.

Em Setembro de 2017, o site "The Pirate Bay" admitiu que estava usando o poder de processamento de CPU de seus usuários para mineração sem seus consentimentos. No mesmo mês, o Showtime também foi apanhado usando os dispositivos dos visitantes para mineração, o que eles postulavam como sua maneira de contornar os bloqueadores de anúncios.

Ambos, The Pirate Bay e Showtime estavam minando Monero através do Coinhive, um script para mineração que é anunciado como uma alternativa à publicidade.