Caem as estimativas de vendas da Nvidia para o quarto trimestre pelo declínio na mineração cripto e condições na China

 

A Nvidia, fabricante de equipamentos de informática sediada em Taiwan, atualizou suas estimativas financeiras para o quarto trimestre do ano fiscal de 2019, de acordo com um comunicado de imprensa em 28 de janeiro.

A empresa está refletindo vendas mais fracas previstas em suas plataformas de jogos e centros de dados, que vem do excesso de estoques de canais intermediários após a queda nos mercados de criptomoeda. A receita do quarto trimestre deve ficar em US$ 2,20 bilhões, em oposição à projeção anterior de US$ 2,70 bilhões, de acordo com um comunicado divulgado pela Nvidia em 28 de janeiro.

O frenesi de mineração por criptomoeda elevou a demanda por unidades de processamento gráfico (GPUs) da Nvidia. No entanto, uma vez que a demanda começou a desaparecer devido à diminuição das avaliações das criptomoedas, os preços de GPUs não diminuiu o suficiente para atrair novos consumidores para comprar cartões mais baratos. Isso levou ao que o fundador e CEO da Nvidia, Jensen Huang, chamou de "ressaca das criptomoedas".

Jensen Huang disse no comunicado de imprensa, "o quarto trimestre foi extraordinário, extraordinariamente turbulento e decepcionante." Além da falta de negócios relacionados a criptomoeda, a Nvidia também cita a "deterioração das condições" na China como um dos motivos da queda na receita esperada das vendas de GPU de jogos no 4º trimestre.

A empresa havia experimentado uma venda massiva de ações no final de 2018, o que afundou o preço das ações da empresa em 54%, como publicado anteriormente pela Cointelegraph. A notícia de queda na receita do trimestre reduziu o preço das ações da Nvidia em 15%, que agora está sendo negociado em torno de US$ 135, abaixo dos US$ 158,08 da abertura de hoje.

Os mercados de criptos estão atualmente passando por outra queda, com muitas moedas importantes tendo perdas significativas. Bitcoin Cash (BCH), Bitcoin SV e Stellar (XLM) estão vendo perdas superiores a 10% no momento da publicação.