Número de cidadãos dos EUA proprietários de cripto dobra em 2019

O número de norte-americanos que possuem criptomoedas quase dobrou em 2019, indo de 7,95% em 2018 para 14,4%, de acordo com uma nova pesquisa da Finder.

36.5 milhões de norte-americanos possuem criptos

A Finder, uma empresa de serviços financeiros sediada na Austrália, entrevistou 2.068 americanos para descobrir uma projeção de 36,5 milhões de pessoas nos Estados Unidos possuem alguma forma de criptomoeda até o momento.

Chamada “Um crescente número de americanos é proprietário de criptos”, a pesquisa foi publicada em 14 de outubro, conforme tuitou a Finder.

Segundo a pesquisa, o montante médio de criptomoedas em propriedade de americanos é de US$ 5.447. No entanto, como quase 3/4 dos entrevistados detinham menos que esse valor, o valor médio - o valor que separa a parte mais alta - a propriedade de criptomoedas por população dos EUA é de US$ 360.

Mais da metade dos proprietários de criptomoedas americanos são considerados "poligâmicos cripto", depois de 55,4% dos proprietários de Bitcoin (BTC) pesquisados pela Finder reconhecerem que também possuem outra forma de criptomoeda. Semelhante a outras pesquisas, a pesquisa da Finder diz que os homens possuem criptomoedas são quase o dobro da taxa de mulheres, com 19% dos homens pesquisados alegando que possuem algum tipo de cripto, contra apenas 10% das mulheres.

3 razões para ter e para não ter criptos

De acordo com a Finder, a maioria dos americanos possui alguma forma de criptomoeda porque as considera um tipo de investimento. Dessa forma, 61% dos entrevistados afirmaram que possuem criptos para fins de investimento, enquanto apenas 29,3% disseram que a usam para fins de transação. Enquanto isso, até 25,6% dos norte-americanos mantêm criptomoedas porque desejam armazenar seu dinheiro fora das instituições financeiras tradicionais.

Por outro lado, a falta de formas de uso facilitadas continua sendo a principal razão pela qual os americanos preferem ficar longe de criptomoedas em 2019. De acordo com a Finder, 47,9% responderam que as criptomoedas são “muito complicadas ou difíceis de entender” como uma razão para não começar a investir. Essa categoria é seguida por 45% das pessoas que simplesmente não estão interessadas em criptografia e 23% que acreditam que a criptografia é muito arriscada.

Os resultados da nova pesquisa alteram-se ligeiramente de outra pesquisa relacionada a criptografia, realizada no início deste ano. Em 30 de abril, a empresa de capital de risco Blockchain Capital divulgou uma pesquisa dizendo que 11% da população americana possuía Bitcoin.

No final de setembro, outra pesquisa mostrou que 32% dos europeus acreditam que a criptografia é o futuro dos pagamentos online.