'Nada Resolvido': Ministérios do governo sul-coreano divergem sobre a proposta de proibição dos criptos

Relatórios conflitantes hoje, 11 de janeiro, levaram à confusão depois que um ministro sul-coreano anunciou planos de um projeto de lei destinado a proibir o comércio de criptomoedas no país.

Segundo a Reuters, oficiais sul-coreanos estão trabalhando em um projeto que tornará ilegal o comércio de moedas virtuais e negociações locais destas.

O ministro da Justiça do país, Park Sang-ki, disse que a decisão vem na sequência de discussões e acordos entre os departamentos governamentais, incluindo o Ministério das Finanças e os reguladores financeiros.

A Reuters informou que Sang-ki anunciou a proibição em uma conferência de imprensa, afirmando:

"Há grandes preocupações com as moedas virtuais e o Ministério da Justiça está basicamente preparando um projeto de lei para proibir o comércio de criptomoedas e negociações destas."

No entanto, o colaborador da Cointelegraph da Coréia do Sul, Joseph Young, informou hoje em seu Twitter pessoal, citando fontes locais, que o Ministério da Estratégia e Finanças da Coréia do Sul não concorda com a proposta do Ministério da Justiça de proibir o comércio de criptomoedas no país. Young informa que uma decisão final ainda não foi tomada.

O ministério de estratégia e finanças sul-coreano (MSF) "Não compartilha das mesmas opiniões do ministério da justiça sobre a possibilidade de uma proibição das criptomoedas e do câmbio delas." o MSF (ministério da estratégia e finanças) está irritado com a citação prematura do MoJ (ministério da justiça). Confusão massiva.

Conforme noticiado em 25 de dezembro, a Coréia do Sul criou uma força-tarefa para criar legislação para o crescente mercado de criptomoedas no país. Contrariamente a uma proibição absoluta, o grupo planeja regular os câmbios de criptomoedas como prestadores de serviços financeiros legítimos e proibir os estrangeiros e investidores menores de idade de negociar em bolsas sul-coreanas.

O pânico leva a uma liquidação

A popularidade do comércio de criptomoedas na Coréia do Sul viu o preço das moedas virtuais sendo negociados por valores bem mais altos do que em câmbios em outros países.

No entanto, as observações do ministro levaram a uma liquidação de criptomoedas. O preço do Bitcoin (BTC) na Coréia do Sul caiu 21% para US$17.064. Este preço baixo do BTC na Coréia do Sul, é de longe muito superior ao preço médio do Bitcoin no CoinMarketCap (US$13.501 até o presente momento), que exclui os câmbios sul-coreanos, devido à divergências nos preços das criptomoedas no país.

No final de dezembro de 2017, a Coréia do Sul respondia por até um quinto do comércio global de criptomoedas.

Ataques enfeitados aos câmbios

A Reuters também informou em 11 de janeiro que os maiores operadores de câmbio de criptomoedas da Coréia do Sul foram "invadidos" pelas autoridades policiais e fiscais em meio a alegações de evasão fiscal nesta semana.

Segundo a Reuters, um funcionário da famosa casa de câmbio sul-coreana Coinone disse que as autoridades consideravam os operadores de câmbio de maneira negativa:

"A polícia local também vem investigando nossa empresa desde o ano passado; eles pensam que o que fazemos é um jogo de apostas."

Mais uma vez, a opinião do nosso correspondente da Coréia do Sul é que os relatórios de uma "invasão" não são precisos e foram enfeitados pela grande mídia de fora do país.

O correspondente da Cointelegraph da Coréia do Sul desta vez re-tweetou a Ran Neuner que é um corretor de criptos da CNBC, confirmando que as chamadas "incursões" nas casas de câmbio sul-coreanas eram, na verdade, apenas visitas de rotina das autoridades fiscais. Young observa que a mídia local está chamando a "invasão" de uma "visita amigável inesperada":

São falsas as notícias da Reuters dizendo que as casas de câmbio de Bitcoins e criptomoedas sul-coreanas foram invadidas pela polícia. Enquanto outros reporteres e a mídia local reportam que isso foi uma visita inesperada amigável. Invasão é algo completamente diferente.

Outra casa de câmbio da Coréia do Sul observou no Twitter que a situação era o resultado de uma confusão tanto por parte das autoridades quanto das próprias casas de câmbio, que segundo as notícias, estão dispostas a cumprir a legislação aplicável se essa for implementada:

"Há muita confusão por todos os lados, governo e cripto-câmbios."

No lado fiat das coisas, em 7 de janeiro, meios de comunicação locais da Coréia do Sul informaram que as autoridades do país planejavam investigar seis grandes bancos para buscar suposta lavagem de dinheiro vinculada às negociações com criptomoedas.