Maior banco da Noruega explorará aplicações para a tecnologia de livro-razão distribuído da IOTA

O DNB ASA (Den Norske Bank), maior grupo de serviços financeiros da Noruega, e a Fundação IOTA assinaram um memorando de entendimento (MdE), de acordo com um comunicado de imprensa em 31 de maio. O DNB e a IOTA agora cooperarão para explorar aplicações do IOTA Tangle, um livro-razão distribuído (DLT) de "terceira geração".

De acordo com o comunicado de imprensa, as duas partes trabalharão juntas para encontrar novos modelos de negócios em seus respectivos setores. Lasse Meholm, chefe de DLT no DNB, disse que um dos objetivos do projeto é entender melhor a tecnologia e permitir que aqueles que trabalham com clientes encontrem oportunidades para novos casos de uso. Meholm acrescentou:

“Entre outras coisas, a tecnologia é projetada para lidar com centenas de milhares de microtransações por segundo. Não abandonaremos o mercado associado a esse ecossistema que surge em torno dessas transações”.

Um dos fundadores da IOTA, David Sønstebø, disse que espera que isso suavize o relacionamento dos bancos noruegueses com a indústria de cripto:

“Eu espero e acredito nisso. A Fundação IOTA contribuirá para separar os projetos de cripto inúteis dos sérios.”

No início deste mês, uma casa de câmbio cripto norueguesa perdeu uma ação contra o Nordea Bank por fechar sua conta. A Nordea inicialmente fechou a conta da Bitmynt AS devido a preocupações com mecanismos inadequados de combate à lavagem de dinheiro.

O DNB ASA, o maior banco da Noruega e um dos maiores nos países nórdicos em termos de capitalização de mercado (US $ 238 bilhões), já havia pesquisado a tecnologia blockchain através do consórcio R3. De acordo com a agência de notícias local E24, o DNB também tem vários projetos em andamento com várias tecnologias, incluindo EthereumHyperledger e EOS.

Instituições financeiras em todo o mundo estão explorando casos de uso de tecnologia blockchain. O banco central do Canadá, o operador da Toronto Stock Exchange, o TMX Group e a organização sem fins lucrativos Payments Canada concluíram testes recentemente que mostram que a tecnologia blockchain é efetiva para liquidações instantâneas de valores mobiliários.

No início deste mês, o JP Morgan Chase & Co. registrou uma patente para pagamentos peer-to-peer com blockchain entre bancos. O pedido de patente do JP Morgan propõe o uso de um livro-razão distribuído para processar pagamentos em tempo real, sem ter que depender de um terceiro confiável para manter a verdadeira "cópia de ouro" da trilha de auditoria.