Senadora das Filipinas, Grace Poe diz que não há pressa para aprovar leis fintech

Os legisladores das Filipinas não devem ter pressa para aprovar regulamentação da tecnologia financeira (fintech), segundo a senadora Grace Poe.

A agência local Rappler publicou em 23 de setembro que Poe fez suas declarações após uma audiência do Comitê de Bancos, Instituições Financeiras e Moedas do Senado. Ela disse:

“Para a maioria dos nossos compatriotas pode parecer estranho, mas, na verdade, alguns deles têm aproveitado isso através de empréstimos online. E sem a informação e educação adequadas, muitas delas são realmente vitimadas. ”

Um campo que precisa de mais estudo

O senador Francis Tolentino disse durante a mesma audiência que os reguladores deveriam dedicar um tempo para estudar a nova tecnologia. Poe admitiu que os legisladores não são especialistas no campo da moderna tecnologia financeira:

“Antes de sermos vítimas disso, como eu disse, o BSP e a SEC já concordaram em ter uma discussão regular para que eles possam apresentar uma ideia legislação, porque não somos especialistas nisso. [...] Precisamos de pessoas realmente conhecedoras, caso contrário, podemos criar mais problemas em vez de corrigir a situação. ”

Força-tarefa para fintech pode estar no horizonte

De acordo com a matéria, os senadores recomendaram a criação de uma força-tarefa dedicada ao estudo das fintechs composta pelo banco central do país, a reguladora de valores mobiliários, empresas de seguros de depósitos, departamento de finanças e Autoridade da Zona Econômica de Cagayan - o órgão que supervisiona uma jurisdição econômica especial.

Tolentino também observou que o Departamento de Trabalho e Emprego também deve ser incluído na força-tarefa, já que "existem preocupações que envolvem trabalhadores filipinos no exterior".

O comissário da Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio das Filipinas, Luis Amatong, disse que o órgão regulador emitirá novos regulamentos para "exigir que as empresas com ofertas digitais sejam registradas e estejam sob escrutínio regulatório".

Enquanto isso as criptomoedas estão se tornando mais acessíveis aos filipinos com o Bitcoin (BTC) já sendo vendido em mais de 6.000 filiais locais do 7-Eleven.