Coreia do Norte

O CEO da CrowdStrike, George Kurtz, disse aos principais meios de comunicação que a Coreia do Norte está "absolutamente" armazenando Bitcoin para lançar ataques cibernéticos.

Falando para a CNBC em meio a uma série de relatórios, o maroto estado está usando a criptomoeda para lançar ataques à Coreia do Sul em particular. Especialista em segurança cibernética, Kurtz, disse que não era de se duvidar de que "acumular" Bitcoin está por trás do roubo.

"Eu certamente acho que destaca as capacidades que a Coréia do Norte tem em cyber ... É algo que muitas empresas devem se preocupar, particularmente as empresas que lidam com Bitcoin e criptomoedas", disse ele.

CEO da Crowdstrike: em 2018 perspectiva de ameaças cibernéticas naCNBC.

 

A propensão da Coreia do Norte para roubar Bitcoin das casas de câmbio sul-coreanas tornou-se uma narrativa comum, uma vez que as casas de câmbios em todo o país denunciaram hacks este ano.

Notavelmente, a principal casa de câmbio Bithumb viu fundos desaparecerem em massa em julho, enquanto nesta semana, uma casa menor, a Youbit, pediu falência devido a um hack que sugou 17% de seus ativos. Esse hack agora está sendo atribuído à Coreia do Norte.

"Eles estão construindo um cache de Bitcoin, se você pensar nisso. É uma moeda anônima, pode facilmente ignorar quaisquer tipo de sanções, porque elas não existem para o Bitcoin, e o valor aumentou dramaticamente", continuou Kurtz.

"É a moeda perfeita para a Coréia do Norte acumular".

O governo dos EUA disse recentemente que a Coreia do Norte foi a perpetradora do ciberataque WannaCry deste ano que paralisou grandes empresas em todo o mundo com o ransomware de Bitcoin.