Universidade de Nova York oferece graduação em tecnologia Blockchain

A Universidade de Nova York (NYU) tornou-se a "primeira" universidade nos EUA a oferecer aos estudantes uma graduação em tecnologia blockchain, reportou a CBS New York em 18 de setembro.

O programa será fornecido pela NYU Stern School of Business, que também foi pioneira na oferta de cursos universitários em criptomoedas e blockchain. O professor Andrew Hinkes comentou sobre o novo programa:

"Esperamos estabelecer um trabalho de base para que os alunos possam entender o que realmente está acontecendo nas entrelinhas, para que eles possam entender as implicações legais e comerciais e prepará-los para sair e enfrentar este novo mercado".

De acordo com a professora associada Kathleen Derose, a instituição educacional espera que as grandes empresas façam parcerias dentro do programa de treinamento, enquanto “as startups em [fintech] provavelmente inventarão as novas coisas legais”. Seguindo o crescente número de estudantes interessados na nova oferta, A NYU supostamente dobrou suas ofertas de cursos neste ano letivo.

Adam White, da divisão de criptomoedas da Coinbase, disse que os estudantes “veem o desenvolvimento, o nascimento de uma nova indústria”, acrescentando que “em muitos aspectos, olhamos para coisas como Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) e blockchain como a internet 3.0".

No mês passado, a Coinbase divulgou um estudo mostrando que 42% das 50 principais universidades do mundo têm pelo menos uma turma de criptomoedas e blockchain. Das 172 turmas analisadas no estudo, 15% foram oferecidas pelos departamentos de economia, finanças, direito e negócios, enquanto 4% estavam nos departamentos de ciências sociais. O estudo descobriu que os cursos de blockchain e de cripto são mais populares nos EUA que em entre outros países.

O interesse dos estudantes americanos em cripto é refletido não apenas em programas educacionais, mas também em investimentos em moeda digital. Como mostra um estudo conduzido pelo Student Loan Report em março, 21,2% dos estudantes universitários usavam dinheiro de empréstimos para financiar um investimento em cripto, esperando que a volatilidade dos preços em alta na cripto ajudasse a pagar suas dívidas mais rapidamente.