Exchange digital DX da UE alimentada pela Nasdaq adiciona ETFs tokenizados

A plataforma digital de negociação baseada na Estônia DX.Exchange adicionou Exchange-Traded Funds (ETFs) tokenizados a seus serviços, segundo comunicado enviado ao Cointelegraph em 6 de março.

A iniciativa envolve a tokenização de ETFs populares, como o SPY, que representa a S&P 500, e o QQQ, que é baseado no Nasdaq Composite na razão de 1:1. O UWT (óleo cru) e o UDOW estão entre os demais ETFs oferecidos na plataforma. Os ETFs ofertados agora podem ser comprados tanto em criptomoedas quanto moedas fiat, durante o período de negociação ou até mesmo depois.

De acordo com o press release, a introdução de ETFs tokenizados na DX.Exchange atende tanto às últimas regras publicadas pela Autoridade Europeia dos Valores Mobiliários e dos Mercados e como os mercados da UE na Diretiva de Instrumentos Financeiros II.

O diretor de operações da DX.Exchange, Amedeo Moscato, declarou que acredita que a nova iniciativa da empresa regulada pela União Europeia abre o mundo dos ativos financeiros populares para os proprietários de criptos. Sua declaração diz:

“Hoje existem mais de US$ 130 bilhões em cripto que podem ser investidos em ações digitais e ETFs. Os investidores cripto que queriam cobrir parte de seu portfólio cripto só tinha moedas estáveis em Dólar Americano ou opções limitadas. Agora eles podem investir em ativos do mundo real na blockchain.”

A DX.Exchange diz que a adição da negociação de ETF na plataforma vai atrair investidores em busca de benefícios de meios mais acessíveis para executar suas transações. Além disso, a decisão permitiria a pequenos investidores de varejo ou investidores de países em desenvolvimento entrar no mercado.

DX.Exchange surgiu primeiro como um conceito em maio do ano passado e foi lançada em janeiro deste ano. A empresa usa o protocolo Financial Information Exchange da Nasdaq para oferecer seus produtos.

Como o Cointelegraph publicou, a empresa inicialmente propôs que proprietários de criptos comprassem tokens baseados em ações de grandes companhias, como Amazon, Baidu, Apple, Facebook, Google, Intel, Microsoft, Netflix, Nvidia e Tesla.

A negociação na exchange estoniana atualmente só está disponível para negociantes da União Europeia. Porém, a empresa planeja tornar a negociação disponível para usuários dos Estados Unidos em 2019, de acordo com um tweet de seu co-fundador e CEO no início de janeiro.